segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Dura Lex... parte 2


Três coisas devem ser feitas por um juiz: ouvir atentamente, considerar sobriamente e decidir imparcialmente.


Sócrates ( não , não era Engenheiro...)





Com tanta ladroagem , tanto burlão, tanto assassino, tanto criminoso em geral a aguardar julgamento por delitos cuja gravidade ultrapassa tantas vezes a imaginação, o João foi hoje presente ao juízo de instrução, praticamente 24 horas após a perpetração do seu "crime" de lesa agente da PSP em pensamentos e algumas palavras, que se traduziram no bico de obra de que aqui falei, na anterior publicação. 

Foi ouvido e condenado a DOIS ANOS de pena suspensa, e apenas por falta de antecedentes que imputassem qualquer risco ao seu comportamento de homem e cidadão português, durante quase 40 anos.
Foi a sentença também acrescida de uma sanção pecuniária de 250,00€ .

O João resignou-se. Quer esquecer que tudo isto aconteceu e voltar à normalidade e pacatez da sua vida profissional e familiar. Quer voltar a sair para pescar e abstrair-se do mundo.

Pena que a justiça nos tempos de hoje não seja apenas cega, mas surda, parcial e prolixa.
 E dura lex, sed lex,  deveria ser igual para todos, mas aqui é que a porca torce o rabo, porque "todos" não são iguais perante a lei.
Como dizia Orwell e muito bem, uns são muito mais iguais do que os outros, basta serem conhecidos, poderem cobrar favores e terem um pé de meia offshore.










6 comentários:

  1. Ontem, numa sessão de formação, falávamos da necessidade de o juiz não plicar a lei automaticamente, formalmente.
    De a saber interpretar, integrar no sistema, de a adaptar a quem está a ser julgado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente. Cada caso é um caso e houve transgressões de parte a parte... faz-me lembrar Os Miseráveis, caramba roubo é roubo, tanto faz que seja um pão ou se assalte um banco...
      Abraço grandr, Pedro

      Eliminar
  2. Nunca a lei vai ser igual para todos. Enquanto uns puderem contratar bons advogados e outros não a justiça nunca vai ser igualitária.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Maria. Dinheiro e troca de favores ditam a lei e comandam a justiça.
      Beijjnho.

      Eliminar
  3. Realmente uns são mais iguais que outros... Concordo: "Pena que a justiça nos tempos de hoje não seja apenas cega, mas surda, parcial e prolixa."
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem é colheita do que semeámos, é produto processado que temos forçosamente que engolir.
      Beijinho Graça

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva