sexta-feira, 9 de junho de 2017

O Demónio e Mr. Prim

"Em cada esquina te vais
Em cada esquina te vejo
Esta é a cidade que tem
Teu nome escrito no cais
A cidade onde desenho
Teu rosto com sol e Tejo"


Manuel Alegre





Aconteceu no passado mês de Abril. 

Quase todos os meses de Abril, de há alguns anos a esta parte,  saímos a para recarregar baterias, coisa que toda a gente que trabalha muito, tem gatos, filhos e netos, deveria fazer para manter a sanidade mental. Desligar... não totalmente... só um bocadinho, mas desligar sim, e recuperar a vida a dois, nem que seja por apenas  3 ou 4 dias.

Este ano calhou escolhermos a República Checa. Calhou também decidirmos fazer uma caminhada de cerca de 20 km pelo Bohemian Saxon Switzerland National Park.

Partimos de Lisboa com tudo organizado ao pormenor e fomos informados na véspera do passeio que Mr. Prim, o melhor guia para aquele tour em particular, nos iria buscar ao hotel às 8:00h.
Fantástico! Estávamos realmente expectantes.
Aconteceu como previsto. Durante a viagem de automóvel demo-nos a conhecer e ficámos a conhecer Mr. Prim na medida do possível.

Escusado será dizer que a meio do caminho para  Pravčická Brána tive que fazer uma pausa para me reunir com as minhas pernas, que tinham entretanto resolvido entrar em greve devido a exigências não regulamentadas na ACT.
Após as promessas da praxe,  chegámos a acordo, para o que muito contribuiu a chegada ao Falcons Nest, com descanso e um bom almoço a acompanhar.

Como não podia deixar de ser, convidámos Mr. Prim para nos fazer companhia.
A meio da refeição, dei a volta à conversa e em vez de fazer as habituais  perguntas sobre a República Checa, resolvi perguntar o que sabia Mr. Prim sobre Portugal.

Mr.  Prim , que já tinha estado em Lisboa há cerca de 5 anos, não gostou. A cidade era feia, suja, e sentia sinceramente pelos portugueses, porque viviam em condições de extrema pobreza…
É certo que as notícias sobre o País não têm sido fabulosas, mas seguramente Portugal tem uma qualidade de vida superior à da República Checa, retorqui. Sorriu condescendente e respondeu que lá ( na Rep. Czech) não viviam em casas de madeira sem saneamento básico.

Não pude deixar de rir, mas rir mesmo. Onde , pelo amor da santa, terá o Mr. Prim ficado hospedado e por que caminhos terá andado para se deparar com aquela dantesca realidade. 


Não consegui saber muitos pormenores. Acredito que a visita de Mr. Prim fosse coisa tipo relâmpago, pois pouco ou nada sabia de Lisboa, para além da anunciada pobreza e más condições sanitárias. Que o hotel não ficava longe do rio e passava pelas tais "barracas" para  chegar à margem.

Quem me conhece minimamente, sabe que quando acredito que tenho razão não me calo, e o pobre Mr. Prim passou mais de 10km, até às Edmund Gorges a ouvir sobre a minha terra e a história das pseudo-casas de madeira.
Castigou-me com a descida mais íngreme e escorregadia da minha vida, mas apesar de ter uma preparação física a anos-luz da nossa, garanto que acabou mais cansado,tal não foi a injecção sobre Lisboa que lhe ministrei.


Mas por muito que tentasse, foi impossível contornar aquela impressão negativa de uma cidade salobra e escura que Mr. Prim tinha gravada nos recônditos do seu disco rígido.

O meu passeio ao Parque foi estupendo. Aconselho vivamente.

Lamento apenas que o nosso País,  tão bonito, tão brilhante, N vezes ao quadrado mais  simpático do que a República Checa, seja tão erroneamente interpretado.
Estes turistas que nos chegam em Fam Trips , vêm tantas vezes "comprar" o destino para o poder incluir nos seus pacotes de tours .

Chegados cá, a que demónio será entregue a organização da sua estadia ? Não acredito que o Turismo de Lisboa que normalmente dá a conhecer a nossa capital com tanta clareza e desvelo, tenha transformado mais uma oportunidade de "vender" Lisboa num passeio à timberland...




( Foto retirada da internet)

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Eu sou fanática por esta cidade que me viu nascer , Pedro. Não entendo nem aceito que quem não conhece, finja que conhece e diga mal... ou então o homem esteve para aí no Casal Ventoso, sei lá... Mas casas de madeira, não pode ser. Faz muitos anos que foi demolida a ultima barraca.
      Abraço , Pedro

      Eliminar
  2. Vai ver que Mr. Prim nunca esteve em Lisboa...
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai ver que nem sequer esteve em Portugal... mas infelizmente, o que lhe venderam de Lisboa foi qualquer coisa que ultrapassa o meu entendimento
      Beijinho Graça

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva