terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Visitante do Barulho


O silêncio só existe em contraste com o barulho. Se não há barulho a contrastar, é ele próprio barulhento. E então apetece o ruído para ele ser menos ruidoso

Vergilio Ferreira








Fecho os olhos e viajo até ao século passado, quando eu era um pedaço de mim, uma forma esguia que os anos foram moldando e continuam a moldar até alcançar o produto final, provavelmente deteriorado e longe da perfeição, mas o eu completo que me foi permitido encarnar.

Tinha dezasseis anos feitos de fresco há dois dias. Estava em Piccadilly Circus e lá estava ele.
Tocava e cantava o Yellow Submarine e creio que poucos havia que não acompanhassem aquela energia em lalala, humhumhum ou com letra e música até.

Era bizarro e estrondoso. Tocava uma panóplia de instrumentos ao mesmo tempo, mais ruído do que música, à qual somente o vocalizo conferia o reconhecimento necessário.

É uma recordação grata. 

Na ultima semana tem morado na minha cabeça, apenas ele , o ruidoso, o estrondoso, o barulhento. Não para de ribombar a sua desconjuntada filarmónica,  acrescentando passos e batida stomp, que volteia , sapateia e faz guinchar um sonoro turbulento nas minhas trompas auriculares. 
Latejo. É o bombo traseiro incessante na sua crepitosa batida ...
... " o trompete protesta, ratatatata, ratatatata tarara,  e quanto aos timbales , só têm dois sons : sol dó, dó sol, boom boom boom boom boom" ... dezasseis anos, quinze, talvez....

O livro que seguro não se segura e deixa as letras acompanhar o ritmo desconcertado.
O músico, multifacetado como é, está seguramente a tocar picareta.
Fecho os olhos cansados desta dor de cabeça residente e penso no Brexit. 





                       

18 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Sim, barulho e ruído não são a mesma coisa. Os amantes das palavras e os que têm discernimento sabem-no bem. E tu incluis-te neste conjunto.
    Gostei imenso da tua revisitação, tão adequada e, certamente, não por acaso. Além do Brexit, tens por aí um outro ruído a adensar a tua dor de cabeça. Gostava de conhecer um remédio milagroso (as dores de cabeça são terríveis) mas, infelizmente, não conheço.
    Ainda bem que vim ao meu blogue pelo pc. Assim vi a notificação desta postagem e apressei-me. O tempo anda a encurtar-se...
    Bjo, Dulce :)
    (Eliminei o comentário porque me pareceu ter faltado uma letra numa palavra, mas, afinal, não faltava :) )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O tempo, que já não era muito para ser tempo de qualidade pessoal, agora é quase zero... mas quem se importa, verdade ??
      Beijinhos minha amiga.

      Eliminar
  3. Também pensei e escrevi acerca do mesmo hoje.
    Não vai ser tão rápido como a Theresa queria.
    Vamos com calma...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já nem sabemos bem se vai ser o que queriam que fosse. Nesta altura estou por tudo.
      Abraço Pedro

      Eliminar
  4. Es una entrada muy divertida. Lo peor del ruido, el dolor de cabeza, lo mejor, esta fantástica sonrisa y recuerdo amable de un hombre que desafiaba al silencio con risas.
    Un abrazo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gracias Raquel.Una sonrisa hace milagros
      Abrazos

      Eliminar
  5. Há silêncios demasiado ruidosos. Há ruídos que nos martelam a cabeça a toda a hora...
    Um belíssimo texto.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Graça, minha amiga. Nada mais verdadeiro :)
      Um grande beijinho e um enorme bem haja

      Eliminar
  6. Serdeczności , ciekawy blog brawo ! . Dobrego bpżego dnia życzę. zapraszam
    http://www.skrzynkaintencji100.bloog.pl

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Saudades de te visitar...
      Kis :=}

      Eliminar
    2. AvoGi! Que saudades !
      Sabe que isto de ser novato na arte de ser avó leva-nos para longe de muitas das nossas criações. O meu Blog tem sido uma criança negligenciada e qualquer dia os serviços sociais chegam aqui e levam-no para adopção...
      Valem-me as fotos.
      Fico feliz que tenha gostado.
      Um grande beijjnho da Dulce

      Eliminar
  8. Belo lugar! O vento é bom e a poesia também. Voltarei mais. Cordialmente. Laerte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Larter. Volte sempre.
      Abraço. D

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva