sábado, 30 de janeiro de 2016

Noite Apressada

"E por vezes as noites duram meses"


Era uma noite apressada
 depois de um dia tão lento.
[...]
Era afinal quase nada,
 e tudo parecia imenso!


David Mourão-Ferreira














Quem sabe, um sofá ou uma cadeira de recosto, ironiza cheio de razão.
Um duche, uma muda de roupa, uma chávena de chá. 
Mal cheguei e faltam menos de duas horas para me preparar para voltar. Recosto-me, para dar descanso às pernas enquanto observo o chá fumegante condensar-se em cornucópias vaporosas que se desvanecem entrelaçadas no escuro . Olho o quarto minguante recortado em amarelo vivo no fundo escuro sobre as sombras rendilhadas das copas de Monsanto. Fecho os olhos e inspiro profundamente o sublime aroma do silêncio. É quanto basta. Alguns minutos de oblívio, no torpor breve de um sono que não chegou a acontecer completamente . Trinta e dois minutos. Volto a pestanejar , mas é escusado. Mataram a Cotovia provoca-me. Porque não ? Revisitar Scout, Jem, Dill... Submerjo parcos minutos em Maycomb. Cabeceio. As palavras enrolam as letras que se me agigantam olhos dentro e emerjo atarantada.
Já vais ? Não respondo. Ainda é cedo, mas já fui. Bem vistas as coisas, creio que, pelo menos em consciência, nem cheguei a regressar, deixei-me ficar por lá.
Os grão de café gemem com um perfume guloso e não me faço esperar. Sabe a manhãs sem luz. Sabe a ânimo. Sabe bem.
Oiço a juventude animada sob a luz dos faróis, sem frio, sem sono, riem na noite que se faz manhã. A estrela da manhã brilha intensamente. É um avião, diz. Pois é, que tolice. Afloro-lhe a testa com um sussurro. Até logo.
O táxi desliza pela humidade do asfalto . Rádio Amália . Os acordes do Barco Negro, a voz, a imagem de David Mourão-Ferreira intercalada nas luzes fugidias da rua.
Expiro profundamente. Reinicio-me. Ligo todos os sentidos.
Chegou ao seu destino, diz o som mecânico.
É muito provavelmente a mais pura das verdades.

                                                






18 comentários:

  1. Que saudades de a ler, querida MD! Que bom é!
    Um beijinho e um abraço saudoso (há dias apanhei um táxi que também levava a Rádio Amália, se calhar era o mesmo :-))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os meus taxistas da madrugada são quase todos fãs da Rádio Amália. Alguns chegam a cantar os fados :) :) :)
      Beijinho grande grande, Susaninha e obrigada.

      Eliminar
  2. Vénus é a estrela da manhã... muito bom, gostei pra lá de tanto :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é Manel Maltês. Dependendo da sua posição no céu à hora que a procuro, não é raro confundi-lá com um avião que ali por cima da Trafaria, se começa a fazer à pista, principalmente quando parecem lado a lado. :) :)
      Xi

      Eliminar
  3. Da noite se fez dia :) Que bom que voltou :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Maria. Eu na verdade nunca cheguei a ir, mas confesso que me fiquei pelo limbo. 2015 foi preenchido demais, até para me deixar tempo para pensar :) :)
      Beijoca

      Eliminar
  4. Adorei por inteiro - parabéns pelas palavras mais belas...

    ResponderEliminar
  5. A mim fez-me lembrar A Day in Your Life.
    Boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um livro engraçado :) :) :)
      Abraço Pedro

      Eliminar
  6. Um texto excelente a demonstrar que quem o escreve tem o domínio das palavras, com uma vertente poética, e sabe muito bem misturar isso com a vida e com as referências culturais que o acompanham. Parabéns!
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Graça. Obrigada ! :) :) :)
      Beijinho

      Eliminar
  7. Depois de um bom tempo afastada dos blogs, voltei!
    Aguardo visita dos amigos no meu novo espaço.

    http://momentosbrancoepreto.blogspot.com.br/

    Lindo dia!!!

    ResponderEliminar
  8. Aprendi a ler-te; confesso que, quando te comecei a seguir, foi preciso ir para lá do que lia para desvendar a tua escrita. Foi um desafio intelectual, mas, como gosto de desafios, não mais te "perdi".
    Este texto vem na senda do que já te disse em outros do género: o entrosamento da divagação com laivos de vivências pessoais, parecendo que é tudo ficcionado, apoiado numa excelência linguística, é simplesmente delicioso.
    Voa e regressa, vai e vem, ausenta-te e faz-te presente...
    Bjo, querida D :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tão bom ter amigos como tu :) :)
      Mil beijinhos

      Eliminar
  9. Chegar assim a um destino, não o destino, numa noite apressada não é para todos.
    A amiga MD consegui-o de forma brilhante.
    Bonito isto.

    ResponderEliminar
  10. Chegar assim a um destino, não o destino, numa noite apressada não é para todos.
    A amiga MD consegui-o de forma brilhante.
    Bonito isto.

    ResponderEliminar

É aqui que me mandas dar uma curva