quarta-feira, 29 de abril de 2015

A fazer filmes...

"Num filme o que importa não é a realidade, mas o que dela possa extrair a imaginação."
Charles Chaplin




"Da vida vem o teatro e do teatro vem o cinema. Mas na vida já se representa."

Manoel de Oliveira



















The Holy Grail 'neath ancient Rosslyn waits
The blade and chalice watch o'er her gates
 Adorned by masters loving art she lies 
 As she rests beneath the starry skies.



































Não resisti. :) :) :)


(Fotos de MD Roque)


                                                         

20 comentários:

  1. O cinema é realmente imaginação. Não vi o Código Da Vinci. O Museu do Louvre vale mesmo a pena visitar...
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Graça. Li o livro há alguns anos nas férias. É uma obra simpática para ler nas férias. Depois vi o filme, que como muitas adaptações me deixou um tanto indiferente, percebendo ao mesmo tempo que seria a adaptação possível, e sob esta óptica, não foi mal conseguida.
      Pensei apenas que na posse de alguns elementos crípticos faria um post engraçado.
      Concordo consigo. O Museu do Louvre vale mesmo a pena visitar.
      Beijinho

      Eliminar
  2. Não existem melhores filmes do que os da vida real; os outros, os da sétima arte,
    apenas deles se tentam aproximar. Gosto muito de cinema, mas não da maior parte
    dos filmes, e parece que ao contrário de ti, prefiro o realismo italiano a qualquer
    espécie de Código Da Vinci, ao qual reconheço mérito.
    Quanto a Paris...nunca lá fui, o que é uma pena.
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Laurinha, minha querida, o Código Da Vinci foi a adaptação cinematográfica possível de um livro levezinho.
      Fazer filmes de outros filmes ou livros, é algo que já fiz aqui no blog .
      Não serão sem dúvida os livros ou os filmes da minha vida, mas possuem cenas e passagens passíveis de reproduzir.
      Talvez não tivesse elementos suficientes para fazer passar a ideia...
      Beijinho

      Eliminar
  3. Também gostei muito do Código da Vinci.
    Mais do livro que do filme, confesso.
    BFDS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como todos os filmes adaptados de livros já lidos, ficamos quase sempre, também neste caso, com a ideia que soube a muito pouco, Pedro.

      Eliminar
  4. Querida velhota, não sei se percebeste que a ideia que fazes passar é a de uma pessoa que ficou deslumbrada dom o Código da Vinci e fez uma apologia ao livro/filme num post.
    Eu que te conheço e porque sei o que fizeste na semana passada ( mais filmes), percebi.
    Beijos
    Luísa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Lu, perceber, percebi agora.
      Juntei mais duas fotos para reforçar a ideia de que uma imagens valem mais do que mil palavras.
      Bjoka.

      Eliminar
  5. Como te/vos "acompanhei na viagem", dou-te os parabéns pela criatividade nesta postagem. Podias apenas postar algumas das excelentes que tiraste. Ao escolheres estas, aliaste a vivência da leitura do livro, a visualização do filme e elementos que fotografaste para "produzires" o teu próprio filme. É sempre uma experiência muito particular ver o que se conhecia por outras vias.
    (E que felizes andastes por lá!)
    Bjos, querida Dulce :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que felizes andámos por lá, EU minha querida :) :)
      Obrigada e uma beijoca grande

      Eliminar
  6. Fiquei satisfeito por este regresso. Gosto muito do sumo que escorre dos seus postes.
    Seja, pois, feliz e continue a proporcionar estas pérolas. Boas férias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É engraçado quando o geocatching catches up with us, e nos deparamos com déjá vus, Agostinho :) :) :)
      Abraço, meu amigo

      Eliminar
  7. Os melhores filmes somos nós que os protagonizamos.
    (Adoro o Louvre) :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um mundo prenhe de mundos ,o Louvre, Gaja Maria :) :)

      Eliminar
  8. Vou comentar aqui o post de cima: ainda estou frustrada por não ter conseguido arranjar uma solução para isso da palavra currere :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Currere ( latim para correr, corredor) foi uma fraca tentativa de tirar o mistério da sala. :):): ). Afinal, com humor e imaginação acabámos nos subúrbios.
      Beijinho :)

      Eliminar
  9. Obrigado amigo (a). Estou fazendo uma visita ao teu Blog. Meus parabéns pelos teus trabalhos e sucessos. Abraço de Manoel Limoeiro. Recife PE. http://grupounidoderodafogo.blogspot.com.br/

    "Feliz dias das mães".

    Recife, 09 de maio de 2015.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Manoel José. Obrigada pela visita.
      Agradeço a simpatia.
      Um abraço e BFS.

      Eliminar
  10. Boa noite, Dulce,
    Tantos mistérios que se ficarão, ou não, pela imaginação dos mortais...
    Concordo plenamente com a última frase de Manoel de Oliveira, pois, com certeza, a vida é um palco onde todos, por uma ou outra razão, todos representamos.
    Imagino que tenha tido um passeio de sonho pelas belezas do Louvre.

    bom fds
    bj amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tantas histórias, tanta história, tanta arte na cor, na forma na luz. Senti-me tão pequenina Carmem, mas uma pequenina feliz :)
      Beijinho

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva