quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Viver a Fábula - Parte 3 - Renascemos ?

"A vontade, se não quer, não cede, é como a chama ardente, que se eleva com mais força quanto mais se tenta abafá-la."
Dante Alighieri



"Sai da mão de Deus que a contempla 
antes de criá-la, como uma criança 
que chora e ri sem verdadeiro motivo, 
a alma ingénua que tudo ignora, 
excepto quando, movida pelo desejo de retornar a Ele, 
segue de bom grado o que a diverte."

Dante Alighieri



Viajamos?
Viajámos.

 Partimos cedo e rapidamente, quase a alcançar meia velocidade do som, rumo à visão da felicidade humana,  fundamentada na luz e na doçura - lumen et dulcedo.
Busquei a luz e encontrei-a. Senti-me iluminada em terra de iluminados e renascida pelo renascimento que emanava das águas cor de safira do Arno e corria terra dentro como um vento de mudança, um furacão de arte tornado ventania de conhecimento,  e o mundo nunca mais girou geocentrico.

Expatriada junto à porta da cidade penso no exilado, na sua sina, na sua dor, a bendita dor que criou mundos dentro do mundo e dentro de nós próprios.

É nisto que dá viver os sonhos. O eu que conhecemos absorve todos os outros com que se cruza e  que lhe mostram o caminho das luzes até a porta do Paraíso a partir de onde as estrelas nos guiam sob um sol escaldante, como naquele sonho de onde nunca queres acordar.




























Parvi Florentia mater 


Magnificus in urbe, Magnificus


    

24 comentários:

  1. Uma corrida para a felicidade porque visitar tantos lugares bonitos assim é um deleite para os olhos e um prazer para o corpo. Lindas fotos. Adorei!
    Beijos e um lindo dia para você

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É realmente um deleite, Gracita. Um calor abrasador que não sufoca, um caminhar de milhas que não custa, um cansaço extremo que teima em não cansar, tantas são as maravilhas que nem o corpo se ressente:):):)
      Brijos mil.

      Eliminar
  2. Um belíssimo texto e uma reportagens fotográfica que nos deixa com vontade de voltarmos a esses lugares mágicos... A música, arrebatadora!
    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade absoluta, Graça :):):)
      Já a saudade me pica e mil alfinetadas me desassossegam como mãos insaciadas, a puxar-me de volta àquele sonho doce e belo, que não lhe queria o fim ... mas finais também podem ser recomeços...
      Beijo, cara amiga. :)

      Eliminar
  3. Florença em todo o seu esplendor!...
    Daria para ficar rememorando cada recanto desta magnífica reportagem.
    "[...] e o mundo nunca mais girou geocentrico [...] a partir de onde as estrelas nos guiam sob um sol escaldante, como naquele sonho de onde nunca queres acordar."
    Lindo. Parabéns.


    Beijos



    SOL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sol, meu amigo, muito obrigada. Foi realmente épico para mim :)
      Abraço amigo.

      Eliminar
  4. Olá M D Roque!
    Eu amei as imagens,
    cada uma mais linda e deslumbrante que a outra...
    Quando viajamos renascemos,
    experiência própria...
    Adorei essa fase 'Foto-blog'!
    Bjs!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois se se diz que há imagens que valem mais do que mil palavras, bastava colocar as fotos nas postagens, Clau :):):)
      Uma beijoca !

      Eliminar
  5. Lindo! Adorei as fotografias

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  6. De tirar a respiração. Eu que conheço a tua paixão pelo Dante e pelos Médici, parece que estou a ver-te rodopiar de um lado para o outro, como uma tolinha feliz. Boa malha, velhota.
    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem podes dizer que foi de tirar a respiração ! Estavam SÓ 35 graus :):):)
      Estás a ver uma bolha de sabão, redondinha e clara, que muda de cor conforme a luz e de rumo conforme a brisa ? Eis-me ! :):):)
      Jinho

      Eliminar
  7. Lugares lindos nessas fotos, com ricos detalhes a chamar nossa atenção. Há vários mundos dentro do mundo e cada um que visitamos penetra em nossos corações, de forma especial. Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Absolutamente, Marilene!
      Obrigada e beijos.

      Eliminar
  8. Senti a alegria das palavras, cidade histórica.

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Inexplicavelmente sedutora, Marcus :) :)

      Eliminar
  9. O teu texto está muito bom como sempre, mas deliciei-me mesmo com as fotos! Eu sei que a "paisagem" ajuda,mas estás a revelar-te também uma excelente fotógrafa!
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Florença é a arte viva, é poesia em cada sorvo do ar que inspiramos e inspirou tantos. São gotas de arco íris em pinceladas de êxtase .
      Foi uma correria sob um sol abrasador, tão magnífico como a cidade, que curiosamente não foi extenuante. Lá está Laurinha, quem corre por gosto não cansa. :):):)
      Beijoca

      Eliminar
  10. Querida D: o texto que escreveste retrata lindamente este sonho tornado realidade; basta atentar no léxico usado (iluminados/iluminada - renascimento/renascida) para inferir o deslumbramento sentido, absorvendo o odor de lugares e tempos que admiras e "cobiçavas" há tempo (depreendo)...:)
    Nas fotos (excelentes) partilhas connosco esta espécie de transe que vivenciaste por uns dias. De facto, não há como pisar o chão que conhecemos de forma, digamos, virtual.
    Bjo, amiga :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida EU, até o forte calor não passou de um fogo que arde sem se ver, tal a elevação do espírito ::):):)
      Beijoca

      Eliminar
  11. Florença... Mais um sítio que me traz muito boas recordações. Essa última porta é fantástica :) Andaste a perseguir-me?? :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Provavelmente, Gaja Maria :):)
      Resolvi ser a tua sombra no meio de todo aquele brilho :):)
      Beijoca:)

      Eliminar
  12. Minha 1ª visita.
    Em face do que li, penso voltar!
    Saudações poéticas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva, seja muito bem-vindo, Vieira Calado!
      Obrigada pela presença e fico à sua espera .
      Retribuo as saudações .
      Abraço amigo.

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva