sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Guerra em Paz

"Da escola de guerra da vida - o que não me mata, fortalece-me."  
Nietzsche



"Os que ignoram as condições geográficas - montanhas e florestas - desfiladeiros perigosos, pântanos e lamaçais - não podem conduzir a marcha de um exército."
"O verdadeiro método, quando se tem homens sob as nossas ordens, consiste em utilizar o avaro e o tolo, o sábio e o corajoso, e em dar a cada um a responsabilidade adequada."

Sun Tzu






Hoje é dia de desenterrar o machado que tão laboriosamente pus em repouso sob os tradicionais sete palmos, a que o meu esquecimento o tentou votar.
Não que conseguisse olvidar, porque, digam o que disserem não é de todo possível.
Nem pondo um oceano de separação entre nós e o objecto da nossa devoção, conseguimos tirá-lo do pensamento, porque, como um filho que não foi desejado mas aconteceu, traz-nos constantemente prenhe de cuidados e emoções, mesmo quando pensamos que conseguimos cortar o cordão que nos amarra, que cria esta simbiose, esta relação amor-ódio, esta dependência que não nasceu connosco mas que nos alterou o genoma como uma tatuagem indelével.

Hoje é dia de voltar para a Guerra. Cheirar o campo de batalha, o sabor almiscarado da azáfama, o odor da babel de muitas vozes, o som dos perfumes inebriantes e agridoces que me aguçam os sentidos, me despertam e me fortalecem a decisão.

Hoje é dia de voltar a alfombrar a armadura que me proteje e me couraça contra intempéries e investidas.
A Minha Guerra vive, respira, tem pulsação própria com uma cadência muito peculiar que qualquer sismógrafo detectaria como o embate violento de placas tectónicas a grande profundidade, cuja onda de choque mal se sente à superfície, mas permanece num constante latejar, como numa ferida aberta e palpitante.

Hoje é dia de voltar. Sofro por antecipação. Rejubilo também. Vou voltar a entrar em mim e deixar de sentir a letargia da dormência que me assaltou e amoleceu. Vou para a Guerra fraca de gana, mas plena em determinação.Vou em paz.


                                  

50 comentários:

  1. Espero que em paz ganhes todas as batalhas dessa guerra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É a guerra dos 100 anos... ainda só passaram 37 , mas eu estou aqui para as curvas, o que só pode ser bom presságio.
      Beijocas, Loira máilinda ! :):)

      Eliminar
  2. It's alive !!!!!
    Nem acredito ! Onde te meteste este tempo todo ? Já vi que estás a ressacar da adrenalina do rush que ainda não chegou. O texto não é brilhante, mas é um prelúdio, o que já é qualquer coisa :). Bem vinda !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. And kicking too...
      De alma a transbordar, despejei seis posts in a row... agora tenho que aguardar o próximo raio, pois como sabes, nunca caem duas vezes no mesmo sítio.
      Beijos, querida Lu.

      Eliminar
  3. Amei bem o mais parece prosa poética, sua cadência de beleza. Há uma coisa em reparei: no sofrer por antecipação. Sempre digo: nunca se deve sofrer por algo, pode nem acontecer!
    Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou muito de previsões e projecções. Gosto pouco de surpresas, por isso estar bem informada está sempre na ordem do dia. Quando decidi inovar, decidi desligar. Nunca completamente, como digo no texto, mas temporariamente. E no tempo que estive fora, muita água correu no Tejo. Daí o estar expectante...o sofrer por antecipação.
      Mas vai correr tudo dentro da normalidade.
      Abraço e obrigada, Daniel.

      Eliminar
  4. Ter forças pra recomeçar a lutar é sem´pre válido e as forças nunca podem nos faltar! Lindo dia e fim de semana! bjs,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Chica. Por vezes balançamos. É bom não cair. Melho ainda, saber nos reerguer de cabeça bem levantada.
      Beijo e BFS.

      Eliminar
  5. Vais voltar com ainda mais força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para já, voltar bem é importante. Depois ver como corre agarrar as pontas soltas e depois, business as usual.
      Beijoca, Andreia a BFS :)

      Eliminar
  6. Bom regresso e muito cuidado!
    Ouvi dizer que deixam entrar dragões nessa guerra…
    :DDDDD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixam, deixam que eu sei... :)
      Lá terei que avançar com a minha costela de S. Jorge, mas nunca antes de avaliar o bicho, pois até pode ser, quiçá, um querido e fofinho dragão :) e eu , debaixo de todo o aço que possa transparecer no olhar tenho um diabo de um coração de manteiga... ;);)
      Beijos, fofinha :):)

      Eliminar
  7. Olá,
    Não remoa o passado, pois ele adoece o presente e o futuro.
    Eu tenho um terrível passado, o qual só agora relembrei, a gente só pensa o que quer.
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Dorli. Nós realmente só pensamos o que o pensamento nos oferece, e por vezes oferece-nos a visão de lindas rosas sem nos mostrar os espinhos, mas são coisas da vida e o caminho é sempre em frente.
      Beijos e BFS

      Eliminar
  8. A vida é feita de guerras. Umas ganhamos facilmente, outras são bem renhidas mas acabamos por vencer. As outras... bem as outras servem para nos fortalecer para as próximas.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais, Elvira. É das trevas que nasce a luz, assim como por cada trambolhão há um reerguer e fica o conhecimento do que nos arrastou na queda, para prevenir erros futuros. :):)
      Beijinho e BFS

      Eliminar
  9. Dulce,

    Na Paz, os filhos enterram os pai. Na Guerra, os pais enterram os filhos.

    :)
    Marcos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande verdade, Marcus !
      Abraço e BFS :)

      Eliminar
  10. Vejo que voltaste a ligar os interruptores todos!
    Um texto que reflecte esse regresso à guerra depois de uma paz escolhida, e desenterrar o machado de guerra exige-nos sempre uma certa atitude, dado que o voltar, o recomeçar cria-nos por vezes uma certa ansiedade por mais ligeira que seja.
    É fumar the "Pipes of Peace" e seguir em frente!:-)
    Belas citações, Dulce !
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Saltar do 8 para o 80 traz sempre agonias e palpitações acrescidas. Mas afinal o 80 é a minha praia e o jetlag não fará seguramente grande mossa. Todos são unânimes na apreciação do parecer descansado que me reveste desta vez e que não é frequente acontecer.
      Toca a aproveitar enquanto dura, Laurinha. :):)
      Beijinho e BFS.

      Eliminar
  11. E vais ganhar essa guerra, tal é a tua determinação.
    Excelente texto, gostei imenso.
    Bom fim de semana, querida amiga.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. viva Nilson, obrigada!! :)
      Abraço e BFS.

      Eliminar
  12. Que se faça Paz rapidamente!

    Beijinhos Marianos, MD! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não houver paz, há seguramente "pás-pás"... :):)
      Beijinho Maria, minha querida, boa noite e BFS

      Eliminar
  13. Nada mais sensato do que a frase do Sun Tzu.
    Gostei das tuas palavras e, obviamente da música do Paul McCartney !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há quem defenda que Sun Tzu era uma mulher :):):):):):)
      Bom FIM‑DE‑SEMANA, Ricardo.
      Um abraço amigo.

      Eliminar
    2. Deveria ter escrito "Nada mais sensato do que a frase de Sun Tzu". Assim evitaria o erro ! :)

      Eliminar
    3. :D :D
      A maior parte dos ensinamentos, pensamentos e aforismos d A Arte da Guerra, são muito lógicos e objectivos, mas também intuitivos.... :)
      Bom final de Domingo, Ricardo

      Eliminar
  14. Vencer a guerra é capaz
    quem sabe fazer a paz!
    e ao domingo há trégua...

    Bom regresso, MD Roque.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Agostinho, obrigada e um bom Domingo ! :):):)
      Abraço.

      Eliminar
  15. Voltaste "remoçada" para todos os campos de batalha, isso é que importa......
    Citações bem escolhidas e um texto quase alegórico!
    (Depois da fábula, não é fácil enfrentar a "guerra")
    Tudo de bom, querida D
    BJO :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada fácil, mas baixar os braços não é opção, EU, minha querida.
      Beijinho e bom Domingo. :)

      Eliminar
  16. Bravo!!!!!
    texto maravilhoso!
    Vamos à guerra, pois a vida é uma selva!
    Bjus e bom domingo!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Elyane. A vida é uma selva e os humanos estão cada vez mais selvagens :)
      Beijo e bom Domingo :):)

      Eliminar
  17. Preparados e atentos ao que possa surgir...
    Mas, somos quase sempre apanhados de surpresa.

    Belo texto, cara D.

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olinda, mulher prevenida vale por duas ! :):):):):)
      Beijinho e bom final de Domingo

      Eliminar
  18. É reforçar a armadura do corpo e a couraça protetora da alma, afiar as armas e enfrentar a guerra. Ou mesmo as guerras, que todos os dias se travam, umas simples de ganhar, outras bastante mais morosas, mas sempre, sempre tendo em mente que és uma ganhadora e que vais vencê-las todas.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Minha Guerra é feita de batalhas diárias, algumas escaramuças, mas no fim compensa sempre. É fantástico o sentimento do dever cumprido, quando se cumpre como deve ser, Maria.
      Tenho que admitir que há dias desesperantes, mas é precisamente no final que o rush de adrenalina dá lugar aquela tranquilidade que só a paz de espírito consegue proporcionar.
      Beijoca e bom fim de Domingo.

      Eliminar
  19. GUERRA JÁ VENCIDA, POIS A TRAVAS COM CONHECIMENTO DE CUSA.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Minha Guerra peleja-se uma batalha por dia. Some you Win, some you try... Perder é que não está na ordem do dia, Lani :):):)
      Beijinho e bom final de Domingo.

      Eliminar
  20. Vá em frente.
    E em força.
    Boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Pedro.
      Custa a arrancar, mas depois de ganhar velocidade é como se nunca tivesse interrompido :):)
      Obrigada e boa semana para si também.

      Eliminar
  21. O enigma subsiste... Que guerra será essa? A do trabalho? Eu, que sou professora, consigo facilmente atribuir a metáfora à interacção professor-aluno... Ou fala-se aqui de outra coisas, não laborais e antes lúdicas? De futebol? Pareço uma pateta, eu sei, e devia abster-me destas divagações, contentando-me com votos vagos: "vai em frente, Dulce, e tudo de bom". Mas, como são sinceros, cá ficam os votos. Do coração.
    Um grande beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo a da labuta diária, Miuzinha, aquela vulgo "batente"
      Obrigada pelos votos. "Por acá" necessito de todo o positivismo que me possam enviar.
      Beijoca, minha querida. :)

      Eliminar
  22. Minha querida M D
    As minhas férias terminaram… e para assinalar o seu fim publiquei hoje um post.
    Fico-te aguardando, conto contigo...

    O teu texto está em perfeita sintonia com os meus sentimentos :)
    Também eu voltei para a guerra, e a paz que (re)adquiri nas férias, aos poucos vai-se afastando...
    Mas estamos aí, prontos para a luta! :)

    Um beijo carinhoso
    Miguel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se levarmos a paz connosco, ainda dura garantidamente dois ou três dias, Miguel :):)
      Vou lá dar um pulinho assim que possível :)

      Beijinho

      Eliminar
  23. Boa tarde, quando estamos conscientes do que somos e sabemos que o tem ser feito é para ser feito, a seguir à guerra necessária, vem a paz.
    AG
    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não é má ideia levarmos connosco o resto da paz para ajudar nos primeiros dias de guerra, António :)
      Abraço amigo

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva