sábado, 19 de abril de 2014

Pessach, a passagem para lugar algum....

"E Cristo? É um anarquista que teve êxito. O único." André Malraux


[...]Neste sentido, estou a falar de uma religião do medo. Isto, apesar de não ter sido criado, é em alto grau estabilizado pela criação de uma casta sacerdotal especial que se institui a si mesma como mediadora entre as pessoas e os seres que elas receiam e ergue uma hegemonia assente nisso. Em muitos casos, um líder, um governante ou uma classe privilegiada, cuja posição assenta noutros factores, combinam as funções sacerdotais com a sua autoridade secular, de modo a garantirem mais firmemente a primeira, ou os governantes políticos e a casta sacerdotal defendem a mesma causa para defenderem os próprios interesses. 

Albert Einstein







Desde que perdeu o precioso significado férias, que a pascoa deixou de ser uma época especial apesar de, por hábito,  civismo ou simplesmente educação , nos continuarmos a desejar pascoas felizes.
Mesmo em garota só não detestava a pascoa por puro interesse e gula, amêndoas confeitadas de todas as formas e sabores, frutas cristalizadas num caleidoscópio de cores, rios de chocolate doce e morno, sabores, aromas e cores... memórias felizes duma infância tranquila.
Bem lá no fundo nunca consegui ultrapassar o medo da dor do calvário e da crucificação de um homem, feito deus pelos seus semelhantes e morto pelo medo da revolução de ideais cuja olfação pairava no evangelho como uma corrente no ar e se preconizava breve. E os homens são criaturas de hábitos e criam dogmas que querem imutáveis, e as religiões vivem da imutabilidade dos dogmas e tendem a destruir o que não entendem e temem que lhes possa aniquilar o poder. Medo é poder e vencer o medo é destruí-lo. 
Por isso e só por isso, mataram o filho do homem , feito deus pelos homens, cruel e viciosamente.
Esqueceram-se de que os ideais vivem para lá da morte física e que o símbolo máximo da expiação no calvário, se tornou um símbolo de fé na vida.
Esqueceram-se que a justiça tarda, mas não falha.  Como os ídolos pagãos que detestavam, tornaram-se monstruosas criaturas com pés de barro, que se estatelaram entre urros e convulsões, por não praticarem aquilo que durante tanto tempo intransigentemente pregaram.

E depois há o coelhinho da pascoa, rechonchudo, fofo, alegre e carinhoso, figura ternurenta que tem a ver com nascimento e vida. Reproduzir-se como coelhos é um notável sinal da vida em progresso. Até a associação pagã do coelho à lua, cuja contagem das fases determina a pascoa é prenúncio de vida nova, mas não necessariamente da ressurreição da carne, que volta ao pó e só germinará sementes de vida quando a vida lhe permitir novas raízes para poder voltar a florir

ביצה טובה




                                

16 comentários:

  1. MD ROQUE,

    tenho sentido verdadeiramente sua falta no meu blogue e isto tem parecido semanas de paixões sem fim, e absolutamente sem a perspectiva de um ovo de páscoa do coelho, este sim muito controverso nesta história.

    Afinal, coelho que bota ovo teria sido aquele abduzido por uma galinha extraterrestre e de estranhos hábitos?

    Espero por você lá no blog, mesmo que não seja para contar a verdadeira história , as pelo menos para matar a saudade deste brasileiro que, com absoluta certeza no final de julho, será campeão mundial de futebol, em pleno Maracanã. (rs)

    Quer que eu minta?

    Um abração carioca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não vou seguramente contar vantagem em blog alheio, basta-me o meu... Em Goiania, os de cá já ganharam o torneio... foi um pleno em Verde :-)
      Coelho botar ovo afinal não é assim tão estranho, e verdades, são como opiniões, cada um tem a sua.
      Vou lá dar um pulinho para matar saudade :):)

      Boa Pascoa.

      Eliminar
  2. Maria, qualquer dia és excomungada pelo Vaticano,pah.
    Coelhinhos fora, claro eheheheheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu até gosto do Papa Francisco, tem sido um porreiraço.
      Falar verdade não merece castigo :):):)

      Eliminar
  3. O teu amigo transatlântico devia ler uns livrinhos de história.
    O que é a verdade afinal ?

    ResponderEliminar
  4. Calma Lu, eu sou muito polémica acerca dos dogmas da igreja, coisa que ainda não perdi do lado vermelho da minha existência.
    Acredito em algo, mas não tenho religião, porque não preciso viver no medo para acreditar.
    A minha verdade vale tanto como as outras, mas acredito nela.
    E já sabes o que penso de opiniões....

    ResponderEliminar
  5. MD, acredito que desde que se descobriu que ganhar dinheiro fácil é iludir as pessoas no ramo comercial, que a Pascoa entre outras datas tornaram-se ovos recheados de dinheiro.
    Existe sim a Pascoa, a celebração da morte do Senhor Jesus, ele disse isso no evangelho de Lucas: "Celebrai em memória de mim"
    sou totalmente contra a essa midia louca que leva as pessoas aos mercados e lojas em geral atrás de chocolates para seus pequeninos e ainda colocam nas cabecinhas destes inocentes que o vo de chocolate veio do coelho.
    Enfim em meio de tanto absurdo neste país, desejo para você e seus leitores um feriadão de muita reflexão espiritual pelo sacrificio de nosso Senhor Jesus.
    Fraterno abraço
    Nicinha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sempre importante reflectir sobre as memórias boas, Nicinha.
      Obrigada, Pascoa Feliz e um beijinho .

      Eliminar
  6. Citações muito bem escolhidas! Concordo com o teu texto; gostei da tua parte interesseira de aceitação da Páscoa, como uma oportunidade para o livre exercício da gula, e o aspecto da imutabilidade dogmática das religiões como condição essencial para a perpetuação do seu poder.
    O melhor da Páscoa, com todo o respeito pela fá alheia, ainda continua a ser a magia dos coelhinhos e ovos de chocolate para as crianças, que felizmente ainda não sentem culpa (esse sentimento tão católico) por abusarem dos doces.
    E uma musica muito condizente.
    Boa Páscoa!...:-)
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dá gosto juntar meia dúzia de palavras e quem as lê perceber exactamente o seu sentido e o seu propósito.
      Bem hajas, Laurinha, e olha, Páscoa Feliz :):):):):):):):)/)

      Eliminar
  7. Minha querida

    Hoje passando para desejar uma Feliz Páscoa e agradecer a visita carinhosa.

    Um beijinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Sonhadora Rosa, agradeço a visita e a simpatia.
      Um grande, grande beijo da D.

      Eliminar
  8. Gostei muito do teu texto.
    Cada um tem a sua Páscoa, pois ela é vista e vivida de um modo diferente.
    E, para mim, agnóstico involuntário, as coisas boas da Páscoa são a família, os amigos e os chocolates...
    Querida amiga, espero que a tua Páscoa tenha sido muito boa.
    Uma óptima semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Nilson, é bem verdade.
      Como passei a Pascoa a trabalhar anida mais do que habitualmente, nem lhe cheguei a tomar o gosto.
      Beijo e obrigada.

      Eliminar
  9. Gostei imenso das citações, texto e vídeo, pois, como sempre, tudo adequado à mensagem que pretendes transmitir.
    (Aqui para nós, que ninguém nos ouve, também não gosto particularmente desta época. Tenho mesmo dificuldade em desejar "Feliz Páscoa". Uso outros eufemismos. Por isso, saio de mansinho - também já cheguei atrasada...)
    Bjo, D :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Páscoa afinal também pode ser sempre que um homem ( uma mulher) quiser... :):)

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva