segunda-feira, 17 de março de 2014

Ontem já é hoje e passou tÃo rápido....

"Os filhos são para as mães as âncoras da sua vida."- Sófocles



                                                                 
Morning Song



Love set you going like a fat gold watch.
The midwife slapped your footsoles, and your bald cry
Took its place among the elements.

Our voices echo, magnifying your arrival.  New statue.
In a drafty museum, your nakedness
Shadows our safety.  We stand round blankly as walls.

I'm no more your mother
Than the cloud that distills a mirror to reflect its own slow
Effacement at the wind's hand.

All night your moth-breath
Flickers among the flat pink roses.  I wake to listen:
A far sea moves in my ear.

One cry, and I stumble from bed, cow-heavy and floral
In my Victorian nightgown.
Your mouth opens clean as a cat's.  The window square

Whitens and swallows its dull stars.  And now you try
Your handful of notes;
The clear vowels rise like balloons.


Sylvia Plath






Costuma dizer-se que todos os humanos que passam pela fugaz existência duma vida, deveriam deixar cumpridos três propósitos : Plantar uma árvore, escrever um livro e fazer um filho.
Penso que cumpri bem parte dos meus desígnios. Apesar de deixar a parte do livro para quem sabe escrever, orgulho-me de ter plantado muitas árvores, de as ter visto crescer e frutificar, e orgulho-me ainda mais das crias que produzi nas minhas entranhas de mulher.
"Parece que foi ontem" é um cliché, uma frase batida, mas muito acertada, pois alturas há, em que regrido no tempo para a noite em que as dores dilacerantes enchiam aquele quarto frio de hospital, onde o calor e a doçura na voz da D. Adelina eram o único fio condutor da minha sanidade mental.
A D. Adelina foi a enfermeira-parteira que assistiu a Mãe nos seus três partos . Trouxe-me ao mundo e estava ali comigo, de mão dada a murmurar confortos e ternuras para me acalmar, para me sossegar, para me tranquilizar, para me ajudar a parir o primeiro rebento.
Demorou mais tempo do que o tempo se poderá lembrar.
Finalmente gritou. Gritou tanto que as dores se transformaram em sorrisos... "tal e qual a mãe", pensei.
Tinha dez dedos nas mãos, dez dedos nos pés, cheirava a amor e tinha um sinal no joelho em forma de mosca. Era linda. Era a mais linda de todas. Era minha.
Ainda é minha depois de 33 anos, mas parece que foi agora.
Um dia apeteceu-lhe dizer Mãe. Foi o dia em que me senti completa, o dia em que soube que ela sabia que nos pertencíamos mutuamente, presas pelo laço inquebrável que o amor criou.
Entrego a este raio de sol que brinca sobre o teclado , o maior beijo de Parabéns do Mundo para ti, filha. Quantos muitos. Quero que sejas sempre muito feliz e que voes para onde o teu sonho te levar.
A tua mãe terá sempre colo e braços para te aninar e boca para te soprar embalos e cobrir de beijos.


                

14 comentários:

  1. Já tens uma filha com 33 anos ?
    Estás velha, rapariga. Parabéns para ela e para ti.
    Um grande beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou uma piquena antiga.... :):):):):)
      Obrigada. Beijinho

      Eliminar
  2. Parabéns às duas, principalmente à filha pelo seu aniversário e por ter uma mãe como tu.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uau! Obrigada, Luisinha, beijinho. :):):):)

      Eliminar
  3. Como sabemos, tenho andado sem mão suficientes para os afazeres da maternidade. Nunca pensei que uma amostra de gente fosse tão tirana e exigente. :):):)
    Adorei ler o texto. Chorei imenso, sabes? É lindo aquilo que escreves.
    Parabéns ás duas e muitos beijinhos. Não me posso demorar , que o feitor de escravos já está a reclamar. ;);)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, minha querida Mia, jovem mamã. Bem-vinda ao clube das que sofrem por amor :):):):):)
      Beijinhos ao rebento resmungão, que daqui a nada já é homem feito.
      Um Xi-<3 da D

      Eliminar
  4. Ainda não sou mãe, mas imagino que por vezes dá vontade de fazer o tempo parar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paramos o tempo nas recordações, é só, mas ele continua sempre e sempre, com a corda toda. :):)
      Beijinhos Verinha

      Eliminar
  5. Maria do Céumarço 18, 2014

    Parabéns às duas, atrasados, mas sentidos

    ResponderEliminar
  6. Ao que parece cheguei atrasada... Minha querida, o trânsito está um caos, provocou um tal engarrafamento que só agora pude chegar -:)))
    Muitos parabéns! Para a filhota e para a mamã.
    (Vou anotar na minha agenda, p'ra ver se no próximo ano não apanho engarrafamento...)

    E como hoje é dia de outra comemoração... desejo um muito feliz Dia do Pai!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mariazita, és uma querida, e não chegas atrasada nunca. Obrigada ! Um Xi<3
      Eu já não tenho pai, mas celebro com Marido a sua paternidade... :):):):)
      Beijo.

      Eliminar
  7. Vim porque gosto de vir aqui. Há mais postagens mas escolhi esta...
    Porque me revejo, neste papel de mãe, porque tenho um filho de 33 anos, fará 34 no final de maio, porque parece que foi agora (está tudo tão presente) e por tantas outras razões.
    (Claro que podia falar de outros aspetos da postagem, mas este é o essencial. O resto apêndices (como o de plantar árvores - também plantei muitas e escrever um livro - por acaso já tenho um publicado, mas só por acaso...).
    :) :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu deixo a ingrata tarefa de escrever para quem o sabe fazer bem. O meu papel de mulher e mãe preenche qualquer lacuna. Se precisar de dois dedos de conversa, chego aqui e começo a escrever. Sei sempre como começar, mas nunca acho que acabo como deveria.
      Beijo , querida Eu. :):)

      e parabéns pelo livro !! :):)

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva