sábado, 22 de fevereiro de 2014

Milhentos

"Há a coragem física que se chama robustez, e há a coragem moral que se chama fortaleza. De uma a outra vai a distância de um homem." - Vergílio Ferreira


Aos Vencedores


 Visto que tudo passa e as épicas memorias
 Dos fortes, dos heroes, se vão cada vez mais,
 Que tudo é luto e pó! ó vós que triumphaes
 Não turbeis a razão nos vinhos das vãas glorias!
 Não ergais alto a taça, á hora dos gemidos,
 Esquecidos talvez nos gosos, nos regallos;
 E não façaes jámais pastar vossos cavallos
 Na herva que cobrir os ossos dos vencidos!
 Não celebreis jámais as festas dos noivados,
 Não encontreis na volta os lugubres cortejos!
 - E se amardes, olhae que ao som dos vossos beijos
 Não respondam da praça os ais dos fusilados!
 Sim! - se venceste emfim, folgae todas as horas,
 Mas deixae lastimar-se os orphãos, as amantes,
 Nem façaes, junto a nós, altivos, triumphantes,
 Pelas ruas demais tinir vossas esporas!
 Pois toda a gloria é pó! toda a fortuna vã! -
 - E nós lassos emfim dos prantos dolorosos,
 Regámos já demais a terra--ó gloriosos
 Vencedores! talvez, - vencidos d'amanhã!



António Gomes Leal






É tão aborrecido não conseguir posição para dormir quando se tem uma dor incómoda... as voltas e reviravoltas que já dei... o corpo que normalmente se defende descobrindo uma posição de conforto, hoje não fez ainda a devida pesquisa.
Tento sentar-me, espantada com a dureza do colchão que custou uma pequena fortuna para me proporcionar repouso e qualidade no sono, quando realizo  que estou deitada numa enxerga no chão, no meio do escuro, rodeada por panelas de ferro e pequenas elevações no terreno,  "-sepulturas"- pensei,  provavelmente pagãs, de onde sobressaíam paus com cabeças espetadas. Arrepiada de horror levantei-me e sem saber bem para onde me virar , tropeço num dos montes e caio estatelada no chão bem em cima do que estava ao lado. Depressa me apercebo de que aquilo que tomei por campas, eram homens deitados sobre um escudo redondo, embrulhados numa capa ,  uma espada pesada ao alcance da mão e uma lança cravada na terra, onde despontava pesado elmo de ferro. Junto á minha cara estavam uns pés que calçavam sandálias por onde subiam umas pernas fortes, musculadas, bronzeadas até onde a tanga e a luz fraca dos muitos borralhos de madeira deixavam ver. O meu olhar continuou a subir, deslizante, sinuoso e maroto até encontrar uns olhos escuros e brilhantes como duas estrelas só ofuscadas pela alvura do sorriso que me encantou e que revelavam uma face barbuda, tisnada e imensamente bela.
"Olha, pensei eu, aquela cara e aquele six-pack... só pode ser o Gerard Buttler, pah!"
Não podia estar mais enganada ! Naquele breu de Nix poderoso e belo como uma estátua grega ( ...) estava Leónidas, o real deal, e não um actor fanhoso de meia tigela com os abdominais pintados pelos técnicos dos FX. Sorriu, derreti-me. Ajudou-me a erguer e falou com a mais bela, modulada e quente voz que eu jamais ouvira : " Vá mulher, vai preparar o mata-bicho, porque esta noite jantaremos no Inferno"... ciente de que se não estava a referir ao Hell's Kitchen lá do sítio, olhei para os tachos resignada com a minha sorte. Acordo em Termopilae rodeada de gajos bons e mandam-me cozinhar... nem sei porque me espantei, é a história da minha vida.
Duas horas á volta dos tachos e já tinha preparado o suficiente para alimentar substancialmente os 300 assim que acordassem, quando Leónidas me interpela zangado e me pergunta se os quero matar à fome, que o seu exército não estava a seguir nenhuma dieta da moda.
 Retorqui ter mais do que suficiente para sustento dos 300... "Quais 300 ? Não sei que livros leste ou que versão te contaram, mas somos 300 Espartanos, 700 Téspios, 400 Tebanos e mais algumas centenas de soldados menores , por isso mexe lá as mãozinhas e faz mais comida que homens que vão para a guerra têm que estar nutridos e bem dispostos"  olhou para cima e continuou " Hemera vai oferecer-nos um bom dia para morrer. Olha o que Caos criou ao teu redor, pede inspiração e força a Ares e avança firme e convicta que depois do Tártaro subirás à glória do Éter e serás imortal"...  Não me convenceu nem um bocadinho. Isso de morrer para ser imortal é ideia que não se me afigura muito atraente, mas faz todo o sentido num contexto histórico e artístico, pois é certo e sabido que só somos realmente valorizados no nosso mester depois de privados do alento que é viver.
Abeirei-me do desfiladeiro e vi o formigueiro humano e negro do exército Persa, lá ao fundo, à espera que Efialtes, o traidor, os encaminhe na perfídia. Fiquei a magicar se Xerxes himself seria melhor que o Rodrigo Santoro... ná!... como é que pode ? um tipo que faz permanente na barba !?
 Dá muito que pensar, saber-me no meio da 2ª Guerra Médica e que mais de mil anos depois os médicos ainda andem em guerrinhas... Acenei-lhes conforme desciam o desfiladeiro, ao encontro do ponto sem retorno, belos como deuses gregos ( ando a repetir-me um bocado, mas enfim...).
Deixei rolar uma lágrima teimosa, lavei a loiça, enrolei-me na capa e deitei-me na enxerga. Sabia que iria acordar no meu conforto e senti uma pontinha de inveja daqueles homens bravos e encantadores que tratavam por tu o destino e caminhavam ao seu encontro com um  resplandecente sorriso nos  lábios. 

                                                                                                                                                                                                 
                                   

12 comentários:

  1. :D:D:D:D
    Tua e as tuas incursões pela História :):):):):)

    ResponderEliminar
  2. Ando a ver muitos filmes... :)

    ResponderEliminar
  3. Ó D!!!!!!!!!!!!!!!!!!! tão bom!!!

    (não me arranja aí uns poucos de bravos para me tratarem do jardim?... davam um jeitão :b)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :D:D. Para a menina, é serviço completo, carro lavado e tudo...
      Beijões, milhentos ;)

      Eliminar
  4. Eram realmente verdadeiros "Príncipes do Universo", sobretudo a esta distância, já que actualmente apenas os six-pack parecem ser importantes, e se possível com uma depilação perfeita.
    E depois havia como salientaste todo aquele sex appeal de uma pele tisnada....:-)
    O que me deixa um pouco com inveja branca é que só tu consegues ter "encontros" destes....É o que dá ter o conhecimento e a sensibilidade , já para não falar no sentido de humor.
    Um post excelente! Adorei ler.
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva, Laurinha . Adoro viajar no tempo, no espaço exíguo em que os meus neurónios se movimentam. Há dias em que uma dor nas costas lembra outras costas, outras paragens, outras passagens com gentes verdadeiramente imortais.
      Um beijão da D

      Eliminar
  5. Costuma dizer-se na brincadeira que um ideiota é uma pessoa a fervilhar de ideias. Perdoa a franqueza, mas és completamente. Onde é que vais buscar estas coisas, MD Roque? Fico pasma e encantada !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou uma imageneer dos diabos, pah! Já tenho em mente um post sobre uma viagem com ETs até Uranus....:):):):):)

      Eliminar
  6. Um texto de quem sabe História e gosta dos clássicos. Bom humor, imaginativo, mas um pouco apressado na morfologia e sintaxe gramatical.

    (gostei de ler, contudo)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na próxima incursão na história, prometo que leio mais 2 ou 3 vezes antes de publicar, ok ?
      agradeço a chamada de atenção.

      Eliminar
  7. Esse sonho não é para todas...

    Acho que nem queria acordar nomeio de tanta barba, Espartanos e outros que tais.

    Que a próxima noite seja mais calma porque o coração não aguentará tanta emoção, e daí...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O coração até aguenta, do resto é que tenho as minhas dúvidas :):):):):):)
      Beijo Pérola.

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva