segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

A Senhora Má

"Nada é bom ou mau se não for por comparação." Thomas Fuller




Génio do Mal


Gostavas de tragar o universo inteiro, 
Mulher impura e cruel! Teu peito carniceiro, 
Para se exercitar no jogo singular, 
Por dia um coração precisa devorar. 
Os teus olhos, a arder, lembram as gambiarras 
Das barracas de feira, e prendem como garras; 
Usam com insolência os filtros infernais, 
Levando a perdição às almas dos mortais. 

Ó monstro surdo e cego, em maldades fecundo! 
Engenho salutar, que exaure o sangue do mundo 
Tu não sentes pudor? o pejo não te invade? 
Nenhum espelho há que te mostre a verdade? 
A grandeza do mal, com que tu folgas tanto. 
Nunca, jamais, te fez recuar com espanto 
Quando a Natura-mãe, com um fim ignorado, 
— Ó mulher infernal, rainha do Pecado! — 
Vai recorrer a ti para um génio formar? 

Ó grandeza de lama! ó ignomínia sem par.


Charles Baudelaire





O que é realmente ser uma boa pessoa ?
Eu acredito no meu intimo que sou uma pessoa boa, o que indubitavelmente fará de mim uma boa pessoa.
Obviamente estabeleci a minha nemesis como termo de comparação e não tenho qualquer sombra de dúvida , por mais ínfima que seja, de que ganho "aos pontos" , se é que comparação possa ser feita.

Adaptando a velha frase de Lincoln, pode-se agradar a todos por algum tempo e a alguns o tempo todo, mas não é possível agradar  a todos todo o tempo. É nessa altura que se inicia a bestificação do indivíduo, outrora uma pessoa aceitável, até com laivos de boa pessoa, e se desconstrói na hidra de Lerna, na Medusa ou simplesmente na Senhora Má, que quando chega põe todos em sentido, pois qual guarda prisional de Buchenwald ou Auschwitz, acredita no Arbeit Macht Frei, e tem o poder de mandar queimar quem não lhe agrada, em suma a verdadeira essência de tudo quanto é o mais puro mal.
Convencendo-me de que Da Vinci tem razão quanto aos paus , às pedras e às palavras, preparo-me para fazer o meu trabalho o melhor que sei e posso, e porque afinal é disso que se trata e não dum concurso de popularidade, creio que não me vou sair mal.
Afinal Ulisses enfrentou Cila e Caribdis e foi sobre ele que o cego escreveu uma epopeia.



                              

6 comentários:

  1. Intrigas destroem mais do que bombas. Paciência, que o mau tempo é quase sempre passageiro.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há intrigas nem destruição. Só pura estupidez, depressão maníaca e muita falta de paciência para aturar idiotices e idiotas.

      Eliminar
  2. Quem é o/a palerma que acha que a gaja mais pachola e simpática do mundo é má ? Hummm ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Piquena, não me conheces TÃO bem como pensas... :)

      Eliminar
  3. O bom e mau...a eterna luta, o dilema de sempre.

    Lá está...só por comparação.

    Nada nem ninguém é bom ou mau em absoluto, quer-me parecer.

    Por isso os opostos são importantes e as diferenças enriquecem-nos.

    Também sou boa pessoa...às vezes.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou um doce de pessoa, a sério, sou mesmo, até me chegarem a mostarda ao nariz... aí, é melhor rastejarem para os buracos de onde saíram, porque libertaram uma fúria sem igual...
      Muhahahahahahahahahahahahahah
      Beijo, Pérola

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva