quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Oh Céus !

"Veja o mundo num grão de areia, veja o céu em um campo florido, guarde o infinito na palma da mão, e a eternidade em uma hora de vida!"- William Blake








Aceitação

É mais fácil pousar o ouvido nas nuvens
e sentir passar as estrelas
do que prendê-lo à terra e alcançar o rumor dos teus passos.

É mais fácil, também, debruçar os olhos nos oceanos
e assistir, lá no fundo, ao nascimento mundo das formas,
que desejar que apareças, criando com teu simples gesto
o sinal de uma eterna esperança

Não me interessam mais nem as estrelas, nem as formas do mar,
nem tu.

Desenrolei de dentro do tempo a minha canção:
não tenho inveja às cigarras: também vou morrer de cantar.

Cecília Meireles



Deito-me a olhar os céus e penso na criação.
Penso  na faúlha minúscula que viajou pelo vazio, ribombou com estrondo, criou este mundo que a nós nos fez, criou  os corpos celestes, criou os céus, criou as nuvens.
Criou tudo e todos e criou-me também a mim, para que eu possa criar fantasias, deitada a olhar para os céus.
As nuvens são um mundo encantado cheio de fadas e corcéis, de ogres e dragões, montanhas e vulcões. 
Onde tu vês uma nuvem, eu vejo Alcácer-Quibir levantar-se das patas das montarias, oiço os gritos dos valentes, o tinir do metal, o desespero, os gemidos de agonia e depois nada mais. Resta  a nuvem tinta do entardecer que leva consigo mistérios eternos e os deposita suavemente na beira do rio onde os das letras tiram a cor da inspiração que lhes corre nas penas. 
Onde tu vês uma nuvem, eu vejo o Chomolungma na glória de Hillary e Norgay, imponente e impotente ao extermínio que se desenrola a seus pés e que purpúrea  a alvura  das suas neves.
Onde tu vês uma nuvem, eu vejo um universo de formas, cores e texturas que amassam e levedam o pão que alimentam a imaginação infinita do pensamento dos homens. 





"Se não entendes que o céu deve estar dentro de ti, é inútil buscá-lo acima das nuvens e ao lado das estrelas."- Charles Chaplin





                                                                                                               ( Fotos do Casulo por MDRoque)

14 comentários:

  1. Adoro olhar o céu e rever o percurso da minha caminhada.

    Fabulosos textos que li ao som de uma canção que adoro.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Mona Lisa. Nós vimos do céu e acredito que todos sem excepção, mesmo que seja lá bem no fundo, ao céu querem voltar. Do pó ao pó... de estrelas.
      Obrigada , linda.
      Beijinho. D.

      Eliminar
  2. Tantas vezes, mas tantas vezes que olho para o céu para buscar uma luz, uma inspiração....algo...que cá em baixo não se encontra. bjo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Katy. Levantar os braços ao céu, tanto nos bons como nos maus momentos da vida é uma tradição milenar que nós continuamos a praticar porque está no nosso ADN desde que saímos do charco das amebas, e quantas vezes não se faz luz, verdade ?
      Xi-<3 D.

      Eliminar
  3. Adoro quando pegas nas tuas fotos e as embrulhas em palavras fantásticas. Não tens nenhum amanhecer... :(. , mas gostei imenso.
    Luisa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando tiver amanheceres que pense que funcionem , posto. Gracias Luisinha.

      Eliminar
  4. Tia D , Alcácer -Quibir devia ter sido no post do nevoeiro. Não se onde vais tirar estas fotos, mas eu gosto.
    Ana Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por essa ordem de ideias, o nevoeiro também devia ter sido no post dos anjos, pois é metafócamente uma núvem que se despenhou, um anjo caído. Eheheheheh. A fotos são assim tipo faça fora cá dentro. E tirei-as todas das janelas dos quartos e sala cá em casa . :):):):):) nem foi preciso despir o pijama.
      Joka. D

      Eliminar
  5. Onde vês nuvens eu vejo castelos no ar, neve suspensa e fragmentos de mãos dadas...

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vês a alegria que te vai na alma, em muitas formas, se estás feliz. :):)
      Beijinho, JP.

      Eliminar
  6. Depois da lua, novamente os céus e as nuvens!
    Um poema muito bonito da Cecília Meireles, seguido de um texto deliciosamente poético sobre as nuvens, e realmente uma nuvem pode representar tudo aos olhos da nossa imaginação, exactamente porque, como reza a citação do Chaplin, o céu deve estar dentro de nós.
    A suavidade do Nat King Cole e mais uma foto muito bonita do teu Casulo...:-)
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Do Casulo tenho fotos de tirar a respiração, mas nem todas sabem a letras. Amanhã jejuo do blog para arejar. Quem sabe não troveja ? :):):):):):)
      Gosto tanto de ler os teus comentário, Laurinha. Obrigada
      Beijinho. D

      Eliminar
  7. Eu vejo nuvens, ventanias, mares e sonhos que me provocam pela sua irrealidade.

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos os dias a mesma janela conta uma história diferente. É por isso que adoro o meu casulo. Beijinho, Pérola

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva