domingo, 28 de julho de 2013

E eu e tu o que é que temos que Fazer?

"Não se pode chamar leitura a essa tremenda quantidade de tempo que se perde com os jornais." - Lin Yutang






Não há coisa pior do que estar de férias na praia, as temperaturas começarem a descer incontrolavelmente e desatar a cair uma morrinha de molha-parvos, daquela que nos encharca até aos ossos.



Ninguém merece.







Então não é suposto estarmos a trabalhar para o bronze, saltarmos da espreguiçadeira e "amandarmos" uma cacholada - no mar, que piscinas é só para a "bifalhada" se alagostar suadamente - darmos uma dúzia de braçadas, sairmos da água lenta e languidamente a pingar ( enquanto a maré baixa consideravelmente ...), termos uma bebida fresca à espera e continuarmos espreguiçados na cadeira de praia, tão cansados de fazer nada, que nem apetece reagir, quando o sol torra com mais força do que habitualmente ??

Mas, e... quando chove ? 





Quando cai água em Alvor, Lagos e Beirute
É preciso afinar o azimute

E eu e tu o que é que temos que fazer ?
(Eu cá fui ler)
(Eu cá fui ler)
E eu e tu o que é que temos que fazer ?
(Eu cá fui ler)
(Eu cá fui ler)

São tomos com cheiro a naftalina 
São letras mágicas no papel


E eu e tu o que é que temos que fazer ?
(Eu cá fui ler)
(Eu cá fui ler)
E eu e tu o que é que temos que fazer ?
(Eu cá fui ler)
(Eu cá fui ler)

Porque o que eu quero
É o meu corpo aconchegado
Porque o que eu quero
É o meu corpo aconchegado
Porque o que eu quero
É o meu corpo aconchegado

Comer bolas de Berlim com recheio de ovo
Na TV é o discurso que de velho se faz novo

E eu e tu o que é que temos que fazer ?
(Eu cá fui ler)
(Eu cá fui ler)
E eu e tu o que é que temos que fazer ?
(Eu cá fui ler)
(Eu cá fui ler)





E ainda não acabei....




... é que o mau tempo promete continuar,  E eu e tu o que é que temos que Fazer?


quinta-feira, 25 de julho de 2013

Só para mim !!!

"Eu tenho um grande medo dessa coisa de ser 'normal'." - John Lennon




Depois dos stresses todos dos tempos pré-enlace em casa e na Minha Guerra, viemos até ao sul recarregar baterias para enfrentar mais um ano de luta, poder ler , dormir, comer e , claro está, ficar que nem uma lontra, pois se já não preciso de caracterizar uma mãe de noiva aceitável, ás urtigas com as dietas.... claro que nado e ando a pé, principalmente para ir e vir do hotel para a praia e vice-versa, mas tenho o mês de Agosto para recuperar a silhueta cilíndrica que é a minha imagem de marca.





Ontem, depois de jantar e de ir passear a pé para a praia numa vã tentativa de fotografar o pôr do sol, entramos no Bar Lounge, onde o simpático entretainer entretinha a "bifalhada" com música portuguesa "ao vivo" com apoio dum coro  em playback.



Estava precisamente a cantar a "Nini dos meus 15 Anos", e os "bifes" estavam a prestar-lhe uma atenção estrondosa, agarrados aos iPhones e iPads, por ser aquela a zona do Wi-Fi por excelência.

Eu fiquei encantada por poder acompanhar a música, porque sou entendida nestas coisas  (Cof Cof) de músicas pré-históricas, sabia-lhe a letra que desavergonhadamente acompanhei enquanto rodopiava e dava à perna , e aplaudi estrondosamente no fim.




O entretainer  ficou indiferente aquela majestosa performance que reconhecia o seu esforço como músico de bar de hotel; a "bifalhada" nem levantou os olhos dos smartphones e tablets, e o marido e a filhs distanciaram-se confortavelmente,disfarçando laços familiares na contemplação duma vitrina  aguardando o resultado final.

Ninguém ligou puto.

Tal e qual a Nini, eu cantei e dancei só para mim... e chegou. Foi giríssimo!



segunda-feira, 22 de julho de 2013

Nothing Else Matters


"A beleza ideal está na simplicidade calma e serena." - Johann Goethe



Quando se ouviram os primeiros acordes de "Nothing Else Matters" tocado pelos Apocalyptica, olhámos todos para trás.

Onde começava a passadeira de pétalas de rosas brancas e perfumadas, estava ela, de braço dado com o pai.

O Pai, nervoso e hesitante, Pai-de-Noiva de primeira vez, perguntava insistentemente se estava bem, se ia bem, se dizia bem.

Ela, a pequena, a pequenina Pérola, a primeira da Mãe-ostra, estava calma, tranquila, serena. Irradiava uma luz, uma alegria e uma beleza no olhar, nos gestos e nas palavras que eu nunca antes tinha notado.

Estava realizada, estava feliz e inundava as pessoas e o espaço com a luz que irradiava.
Caminhava calma e decidida ao encontro do seu amor que a aguardava na outra ponta do caminho de flores. 

Olhavam-se através dos poucos metros que os separavam de olhos brilhantes, tão cheios duma alegria tão intensa e maravilhosa que desencadeou cataratas salgadas em todos os presentes, águas que brotavam teimosamente e cujo caudal foi engrossando sem querer de todo parar.

O Pai entregou-a, deram as mãos e avançaram de mãos dadas e corações jubilosos.
E disseram que SIM. E prometeram-se amor eterno. E selaram a promessa com um beijo.
E nós, que assistíamos chorosos, sentimos um baque no peito : era o coração a sorrir.



Meus queridos, a vida não é cavalgar um alazão branco com o pôr do sol em plano de fundo, mas é bonita apesar dos precalços , das dificuldades e das partidas que nos prega.
Desejo com todo o meu coração que sejam muito, muito felizes.



domingo, 21 de julho de 2013

E Pronto.....

"O destino baralha as cartas, e nós jogamos - Arthur Schopenhauer









... e se ele não se portar bem ( que porta, que eu sei :D  ) , pois que  terá a BatSogra á perna... beware... be very afraid... Muááááááá ... 


sábado, 20 de julho de 2013

Vou ali ser SOGRA, e volto rapidinho...

"As revoluções, como os vulcões, têm os seus dias de chamas e os seus anos de fumaça." - Vitor Hugo
  
... Bem se vê que foi ele quem escreveu os Miseráveis...


Pois é... ainda há pouco tempo anunciava o chocante acontecimento para os idos de Julho e os idos de Julho chegaram que foi um instante; e o dia S ( de Sogra) é já amanhã.

Tem sido uma correria, uma maluqueira, um desatino. 
Eu que gosto de muita antecedência em tudo, para evitar surpresas de última hora , ainda ontem andava a correr para colmatar aquelas pequenas faltas, que de tão simples, ninguém se lembrou.

Com 30 minutos livres na minha agenda de hoje ( CofCof... pessoa importante ) vim até aqui deixar um beijinho a todos aqueles que, como eu, estão a um dia da primeira ConSOGRAção da sua vida, e também aos que ainda não estão tão perto, mas lá chegarão, porque as coisas são como são, e toca a todos...

A minha Bisavó Júlia, dizia na sua imensa sabedoria, "Onde tens que ir, não podes fugir"... e eu vou, não fujo... nem poderia, mesmo que muito quisesse.,.. stilettos de 10cm não são para correr os 100 metros... gostava que me vissem a andar:
Toda a minha elegância cilíndrica no alto do Empire State, passo a passo,  com a leveza do RoboCop....

O meu genro é bom rapaz e adora a minha filha... chama-me "Sogrinha" e sorri... que mais posso eu pedir senão que sejam muito, muito felizes ?



A ConSOGRAção é já amanhã.



Quem sabe, para o ano não entrarei numa nova etapa da minha vida ?  Acho que irei adorar  a AVÓlação.

Para a semana, já a repousar de toda esta agitação  , em paragens mais a sul e bem adaptada à nova pele de sogra ( que se diz que, como as cobras tende a renovar todos os anos...), contar-vos-ei  de como foi a minha ascensão à categoria mais ambicionada por toda a humanidade... ser SOGRA de alguém... afinal se não tivermos ninguém para "fazer um fatinho" onde é que está a piada das coisas ???




terça-feira, 9 de julho de 2013

Ego, ... te Absolvo

"Encantos impressionam a vista, mas o mérito ganha o coração" - Alexander Pope


Realmente há coisas que me transcendem e marcam pela positiva.

Há pouco mais de um ano comecei a escrever aqui umas coisinhas, uns ditos, uns desabafos, uns lamechismos... uns desvarios de uma mente que já passou a sua primavera, e até o  seu Verão, e bem vistas as coisas , já abraçou os tons outonais do seu pensar.

Hoje descobri que tive 100 000 visitantes.  


Número redondo e bonito, que não traduz nada de importante, porque toda a gente disto dos blogues sabe que metade são bypassers que não aquecem lugar e são trazidos ao engano pelos motores de busca, metade da outra metade são drifters curiosos, que acham graça a um post ou outro e continuam a navegar para outras paragens, um quarto de metade é publicidade a outros sites e métodos de angariar tráfego, mas acredito que aquele restinho do resto, excesso ou diferença, depois de tudo subtraído, leia realmente as coisas que eu escrevo.

Não escrevo para ninguém em particular, escrevo para todos em geral e principalmente para mim, que através das palavras que aqui digo conto lembranças, expresso opiniões, exorciso demónios.

Agradeço a todos os que tiveram a paciência de ler os meus escritos. Encontrei pessoas fantásticas, que nunca vi, mas sei, como dizia o poema da Canção de Madrugar.

Saber que sou um bocadinho mais do que este invólucro cilíndrico, enche-me de alegria e o meu ego anda lá pela estratosfera.




Obrigada.





quarta-feira, 3 de julho de 2013

Sonho duma noite de Verão


"Mais vale sonharmos a nossa vida do que vivê-la, embora vivê-la seja também sonhar." 
Marcel Proust





Porém 
Em frente do teu rosto 
Medita o adolescente à noite no seu quarto 
Quando procura emergir de um mundo que apodrece 

(Sophia )





Hoje acordei ainda era noite cerrada. Para quem se deitou era já noite mais do que cerrada, isto  é uma incongruência, uma necessidade, ou reflecte alguma irregularidade passada durante o estado de repouso a que chamamos sono. 
Renegando de imediato as primeiras premissas, num repente afastei os lençóis e saltei da cama em direcção à janela aberta, onde ofegante constatei que ainda tinha País e que tudo afinal não passara dum sonho.

Este ano tem sido o ano de todos os sonhos: uns mais amenos e agradáveis, os outros sempre atribulados, com muito mar , muitas casas, muita gente e muita confusão.




Este de hoje foi particularmente insano:






Estava eu a gritar ao Gregório no convés do Black Pearl e a perguntar-me porque raio insisto em fazer coisas que me metem nojo e me fazem vomitar. Eu enjoo no mar. Enjoo num barco de cruzeiro, num Cacilheiro, num barco a remos... enjoo e pronto, mas isso agora não interessa nada, até porque não estava a golfar borda fora devido à ondulação marítima... dizia eu que que bofejava e olhava a lua que rompera as nuvens qual grande rodela de queijo Emmenthal , disparando raios de luar em todas as direcções. Quando a luz atingiu o barco e incidiu  na curva do meu cotovelo subindo lentamente do braço até ao ombro,   verifiquei que estava em osso !!! Fiquei petrificada ! Finalmente ! Tantos anos a tentar fazer dieta e finalmente estava pele e osso... ou só osso mesmo, mas isso agora não interessa nada. Passaram-me mil ideias fantásticas pelo pensamento: bikinis, tamanhos 40, escrever livros ordinários, ir ao parlamento, sei lá, aquelas coisas que as mulheres esqueléticas sabem fazer tão bem... fui abruptamente afastada dos meus devaneios por uma série de ruidosos estampidos e abanões.
... O que é que se passa agora ?  E voltei a debruçar-me na amurada para constatar que o rombo que o Black Pearl tinha abaixo da linha de água tinha aumentado consideravelmente, e, como é comum nos casos de naufrágio a rataria debandava barco fora, saltando à vez do buraco negro para os salva-vidas que o Capitão Edward Smith tinha emprestado, just in case.


Entretanto junto ao leme, o Coelho Branco tendo atirado borda fora o Technicolor Dreamcoat de cores macilentas e defuntas deixado pelo Casper, segurava na mão direita o relógio avariado dos atrasos e incumprimentos , balançando-se perigosamente na perna de pau do Long John Silver  , enquanto berrava em plenos pulmões :


"You'll feel me coming
A new vibration
From afar you'll see me
I'm a sensation, I'm a sensation !!"


 "- vai cair, pensei eu para comigo" ... Com o Black Pearl a convulsionar como um epiléptico, magotes de gente cujas caras patibulares me eram familiares agarravam-se com unhas e dentes a caixotes com trens de cozinha marca Continente, que cheiravam a manjerico, sardinhas assadas,  coiratos e bosta de porco.

Um tipo com ar frágil de Pitonisa de Delphos que se tinha amarrado a um bloco central para se sentir seguro,  brandia o facalhão do Machete e gritava qual Rainha de Copas :"Cortem-lhe a cabeça, cortem-lhe a cabeça". Deu-me vontade de lhe calar a boca com uma mancheia de vermes e parasitas que passavam a bombordo e de o mandar ir pintar rosas de encarnado...

O Cheshire Cat olhou para mim ! Epah afinal era o Tareco! Mas o Tareco já não morreu ? Não era o pai do Sousa Tavares ?   Queres ver que já passámos o Equador e que ninguém deu por isso ? ... 

Mais um estrondo e um abanão. O Black Pearl tinha encalhado!! Mas isso não pode ser , pah ! Está escrito na maldição que é para andar à deriva... não fala cá em encalhamentos! Oh pah, pergunta lá à Múmia como é que se tira isto do banco ???

Mas a Múmia não sabe responder, é areia a mais para a sua laranjeira.... está confuso e aborrecido porque não recebeu o subsídio de férias ! O Algarve em Novembro não tem graça nenhuma ...

Tento descer à galé, e cheira-me a relvas acabadas de cortar e o perfume é tão repulsivo que desatei a  gritar pelo Jean-Baptiste Grenouille.

Foi então que acordei, que fui á janela, que confirmei que tinha País e que tudo não passara dum sonho mau.
É que a  realidade, aquela que é mesmo REAL,  não tem nada a ver... é  só mil vezes pior...



                             

terça-feira, 2 de julho de 2013

Diário do tempo que falta... T Minus 19 days

"A vida não é medida pelo número de vezes que você respirou, mas pelos momentos em que você perdeu o fôlego". Bob Marley




Diário do tempo que falta...



Assoberbada, com calor e com o tempo a voar debaixo dos meus pés, vejo a ConSOGRAção  aproximar-se cada vez mais depressa :" E olhei, e vi um cavalo pálido e o seu cavaleiro, e o seu nome era GENRO"



T Minus 19 days




Os 10 mandamentos da ConSOGRAção:



1- Não ter muitos mais Genros para além deste Genro, só praí mais um e chega

2 - Certificar-se que o Bom Genro ama a sua filha acima de todas as coisas

3- Não sarnar o Juizo ao Santo e Bom Genro em Vão ( mas frequentemente)

4- Lembra-te que é Domingo e põe-no a trabalhar

5- Honrar o pai e a mãe ( ... da esposa, eu e o Marido, bem honradinhos e pajeados )

6- Não Matarás ( nunca se sabe... "matar " um genro de tédio é uma ideia a considerar ... dias virão, dias virão...)

7-  Não adulterarás ... era melhor...olha que eu, na minha clutch tenho sempre uma "ponta e mola", just in case...

8- Não roubarás... ora se ele já me "roubou" a filha, é bom esperar pela pancada... olho por olho...

9- Não levantar falsos testemunhos, nem pesos, nem a moral, nem a mão... não levantar nada.

10- Não cobiçarás... (" nem a mulher do próximo, nem o boi do vizinho ou o jumento") ... quanto ao boi do vizinho...bem... mas o próximo (e a mulher) sempre se pode pôr a milhas e passar a ser "o que se segue", sem proximidades tentadoras, não vá o Genro cobiçar-lhe o jumento...