sábado, 7 de dezembro de 2013

Super - Tição ??? NÃO!!


"O fantástico não está fora do real, mas no
 sítio do real que de tão visível não se vê." Virgílio Ferreira



Pelas sombras temerosas
Onde vai esta canoa?
Vai tripulada ou perdida?
Vai ao certo ou vai à toa?
Semelha um tronco gigante
De palmeira, que s'escoa...
No dorso da correnteza,
Como bóia esta canoa!...
Mas não branqueja-lhe a vela!
N'água o remo não ressoa!
Serão fantasmas que descem
Na solitária canoa?
Que vulto é este sombrio
Gelado, imóvel, na proa?
Dir-se-ia o gênio das sombras
Do inferno sobre a canoa!...
Foi visão? Pobre criança!
À luz, que dos astros coa,
É teu, Maria, o cadáver,
Que desce nesta canoa?
Caída, pálida, branca!...
Não há quem dela se doa?!...
Vão-lhe os cabelos a rastos
Pela esteira da canoa!...
E as flores róseas dos golfos,
— Pobres flores da lagoa,
Enrolam-se em seus cabelos
E vão seguindo a canoa!...
(Castro Alves)

Quando se sentem os pelos do pescoço ouriçados e um arrepio de gelo nos trespassa o corpo, costumava dizer-se  que "a ghost just walked over my grave" ... em guarda, que o dia ainda é uma criança...

10 comentários:

  1. Poema bonito mas tétrico. Mau presságio, MD ?
    Adoro o Wither Shade of Pale original !
    Bom Sábado
    Ana Maria

    ResponderEliminar
  2. Eu que nem sou de superstições, ainda estou meio abananada e foi um cabo dos trabalhos para aquecer, porque parece que a alma me gelou até ao âmago. So far, so good... há-se ser um Sábado igual a outros tantos, com muito trabalho... O poema é sobre o cadáver da Maria...Brrrrrr...nem quero pensar mais nisso. Beijinho e BFS Ana Maria.

    ResponderEliminar
  3. Um post de extremo bom gosto! Juntar Vergílio Ferreira, um dos meus escritores preferidos, com Castro Alves só poderia dar excelente resultado!
    Gostei muito!
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Castro Alves têm uns poemas fantásticos sobre escravos e foi por aí que o comecei a ler e adorei. Beijinho, Laura e Obrigada

      Eliminar
    2. Exacto! O Navio Negreiro é um grande poema.Bom, para começar...:-)
      xx

      Eliminar
  4. E no entanto, esses momentos assustadores que são, trazem consigo a esperança: o frio vem e vai, o espírito fica, muitas vezes mais rico. Aqui fica "Ill trillo del diavolo, de Tartini", escrito numa inspiração que se seguiu a um momento de... calafrio:
    http://www.youtube.com/watch?v=Oudk5Qmr1MA

    Boa tarde, M D :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A música é belíssima, o que confirma que o terror, o medo, neste caso , o calafrio podem inspirar obras sublimes.
      Tenho para mim, que uma das obras mais espectaculares que já li, A Divina Comédia, foi inspirada no amor, mas sobretudo no medo.. Obrigada e bom Domingo, Señor X

      Eliminar
  5. Venho agradecer seu registo no meu blogue e sua visita.
    Virei ao seu sempre que possa.
    Saudações
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Irene! Bem-vinda e obrigada ! Irei também ser visita assídua. Beijinho D

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva