quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Cry Freedom

"O homem livre é aquele que não

receia ir até ao fim da sua razão." 

 - Jules Renard




Freedom, as every schoolboy knows,
Once shrieked as Kosciusko fell;
On every wind, indeed, that blows
I hear her yell.

She screams whenever monarchs meet,
And parliaments as well,
To bind the chains about her feet
And toll her knell.

And when the sovereign people cast
The votes they cannot spell,
Upon the pestilential blast
Her clamors swell.

For all to whom the power's given
To sway or to compel,
Among themselves apportion Heaven
And give her Hell.


(Ambrose Bierce)




O ser humano é um lutador. Desde tempos imemoráveis que luta. Luta pela sobrevivência, por território, por justiça, por liberdade.
Quantas vezes não escolhemos as causas, as causas escolhem-nos a nós.
O Genro-Mais-Novo pertence à Tropa de Elite Portuguesa, vulgarmente conhecida por Comandos. Já fez dois tours no Afeganistão. A diferença entre o que cá se vê e o que lá se viu é imódica. Nós, os que por cá moirejamos nas nossas penosas vidinhas, que boquejamos diaramente as mazelas do corpo e os achaques do espírito, sabemos muito pouco da crua realidade de milhares de vidas que vivem num universo paralelo ao nosso bem nutrido desconforto.


Ontem a Amnistia Internacional realizou mais um concerto de apoio a causas humanitárias incontornáveis a que chamou Maratona de Cartas. Ninguém consegue ficar indiferente. Tudo o que nos pedem é que escrevamos. Que inundemos governos e governante e de papel, quilos, toneladas de papel, pois por muito que seja , nunca é demasiado para esconder a vergonha de quem reprime a dignidade alheia, infligindo-lhes pesadas penas por crimes tão hediondos como envergar uma T-Shirt com um slogan "proibido", negando-lhes a sua liberdade.







                            No Tivoli












Os Voluntários da AI com o Nuno Markl e o Vasco Palmeirim, que imprimiram ao espectáculo nessa noite tão fria, aquele sorriso tão necessário aquela causa tão especial 



Qualquer um dos que estavam no Tivoli a assistir ao espectáculo podia ter ficado em casa, enrolado nos seus polares , com os gatos a aquecerem-lhe os pés, a trocar posts e comentários no Blogger de iPad na mão, a ver séries e filmes no WD Media Player,  a beber chocolate quente com natas, com O Gato Preto e outros Contos ali mesmo à mão por debaixo dos óculos, mas escolheu estar ali a  apoiar a Amnistia Internacional. Nós, os "vencidos da vida" temos a sorte de poder escolher.




















11 comentários:

  1. não estive lá, mas concordo tanto consigo. por muito que a nossa democracia seja imperfeita, manipulada, é incomparavelmente melhor do que a realidade de tanta gente que vive (e morre) por esse mundo fora. parabéns pelo gesto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. e sergio godinho vale sempre a pena. sempre. gosto muito.

      Eliminar
  2. Esperemos que a iniciativa se tenha saldado pela positiva. Sabe, o Genro-Mais-Novo conta que sempre que sauiá me patrulha , em Kandahar ou onde estivesse destacado o Contingente Português, tocavam " Hoje é o primeiro dia do resto da tua vida". O Sérgio pôs a plateia a cantar, e foi a primeira vez que eu vi o R. comovido quase em lágrimas...
    Hoje são estes, amanhã posso ser eu.

    ResponderEliminar
  3. É fácil queixarmo-nos em relação à nossa vida desconfortável, que para muitos o é realmente, quando na verdade ainda não vimos nada...Saber das coisas é conhecê-las e vivê-las; o genro-mais -novo já viu, já sentiu outras atmosferas.
    E como é verdadeiro aquele poema do A. Bierce!
    Deve ter sido um espectáculo inspirador esse do Tivoli, por uma causa que vale a pena. Aqui em Lagos nunca acontece nada...recordo-me há muitos anos duma manifestação pela independência de Timor Leste verdadeiramente fantástica.
    Muito bom post!
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Lauraa. A causa merece todo o nosso apoio. O espectáculo foi bom, com boa música, som, luz , cor e calor humano. Os apresentadores animaram qb a audiência e nem as horas tardias esmoreceram quem lá foi. Obrigada. :):):)

      Eliminar
  4. M D ROQUE,

    sou seu mais novo seguidor e do outro lado do Atlântico agradeço sinceramente a generosidade da sua adesão aos meus blogues. Creia que me cativou, só a lembro que, nós nos tornamos responsáveis por aqueles a quem cativamos.É uma frase antiga de um autor bem conhecido, mas exprime realmente uma indelével verdade!

    O espetáculo no Tivoli tenho certeza deve ter sido muito lindo e pela mostra,fotográfica,um grande cenário de amor ao próximo.

    Euzinho, assim como você ,também espero que uma contagiante onda de amor invada este planeta , que luzes de sabedoria invadam os coração dos lideres mundiais,e as imagens de crianças africanas com distrofia pluricarencial nutritiva, nunca mais vistas por olhos humanos, expondo aquele crueldade maior que imputamos aos nossos semelhantes e,nem lá , nem mais em lugar nenhum.

    Euzinho, assim como você espero que Jesus Cristo não continue a ter que falar para o seu Pai:"Perdoa-lhes, pois não eles sabem o que fazem".

    A razão? Sabe amiga portuguesa com muita certeza, eu sou brasileiro e brasileiro não desiste nunca.

    Aposto no amanhã melhor, trabalho ao meu modo, por menos barbáries, enfim, euzinho assim como você , me emociono com o amor , onde quer que ele esteja, onde possa ser possível encontrá-lo,enfim...

    Um abração carioca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Paulo, bem-vindo. A nossa causa prioritária devia ser o Mundo, todo o mundo, mas como não é possível, vamos tentando ajudar, um dia de cada vez. Se eu conseguir ajudar uma pessoa que seja é muito bom, pois segundo reza o Talmude, quem salva uma pessoa, salva o mundo inteiro. Um não chega, dois é pouco, mas muitos uns e muitos dois fazem uma multidão que pode ajudar a fazer um mundo melhor. Beijinho. D

      Eliminar
  5. Dulce, estive no Tivoli ! Posso até ter estado sentada ao seu lado a cantar os Vampiros ! :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :):) E não foi fantástico ? Ao meu lado lamento - ohhhhh- mas não ficou; eu estava bem no meio duma entourage de 6... mas á frete, atrás, no balcão, who knows ? Valeu a presença ! Beijinho Teresa e Obrigada

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva