sábado, 9 de novembro de 2013

The Life Cycle of Earthworms

"Todos nós nascemos loucos. Alguns permanecem."- Samuel Beckett



 Talvez por estar habituada às prepotências de quem acha que porque manda, pode, aos esdruxulismos nacional-socialistas de velhos caquéticos, à irritante frivolidade de quem presume que é alguém no panorama literário português, talvez por estar habituada a lidar com muita gente que representa em menor escala estes arquétipos sociais, me tenha limitado a opinar noutros blogs, em posts que de algum modo caricaturizam as polémicas acções e dicções dos presidentes da UEFA e da FIFA, e da piquena que escreve sucessivos dicionários de sinónimos e que tratamos carinhosamente por MRP, porque quem sabe, para muitos a senhora esteja ao nível dum MEC por exemplo, sendo esta uma das piadas mais engraçadas que ouvi nas últimas semanas.

Nem me interessa muito nem quero saber, porque gente pequenina no alto dum pedestal , não cresce em tamanho ou valor, fica só lá mais em cima, naquele sítio de onde as quedas são irreparáveis.

Praticamente não se falou da mala. Não é Chanel, não é Gucci, não é Prada nem Louis Vuitton. 
É a mala dum carro onde um animal deixou uma criança que pariu das suas entranhas durante dois anos, " sem que ninguém se tenha apercebido" .



Pelo amor da santa ! 

Acontece que muita gente tem uma gravidez de termo sem os sintomas típicos e próprios do estado em que se encontra. Podemos ver diariamente no TLC ( uma fonte de inesgotável cultura e saber ) senhoras que só sabem que estão grávidas na altura do parto.
Mas, e depois do parto ? O milagre do nascimento, não é seguramente um milagre para toda a gente. Até mesmo no reino animal a progenitora cuida e protege as crias até serem autónomas, pelo tempo necessário a serem independentes e poderem fazer-se à vida, lutar por si.
Que tipo de bicho viverá  em Limousin, que depois de parir deixa a criança durante dois anos na mala do carro ? E ninguém deu por isso? E e "mãe" , se mãe lhe podemos chamar, não usava o carro, não ia às compras, não levava os filhos à escola, ? Os Bebés choram, choram de frio, de fome, de dorzinhas várias... ninguém ouviu ? Nunca? durante DOIS ANOS ?
Admito que se fosse fruto duma relação extraconjugal, o pavor, que torna as pessoas irracionais, tivesse levado a mulher a agir assim, bestialmente, impensadamente, atemorizada por si, pela criança... mas nem era esse o caso; o ADN provou que o marido era o pai.
Então ??  ... Ah , provavelmente é doente mental... e não o seremos todos, cada um com o seu grau de loucura muito próprio, sem por isso termos esqueletos no armário nem filhos nas malas dos carros !?

"O homem nunca poderá ser igual a um animal: ou se eleva e torna-se melhor, ou se precipita e torna-se muito pior." Vladimir Soloviev


Lamentavelmente, a vida é cheia de precipitações.


10 comentários:

  1. Não podias estar mais certa. Devias escrever mais e fotografar menos :D

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Luísa, mas em podendo escolher... vou pelas fotos :) :)

    ResponderEliminar
  3. Muitas vezes a realidade é mais estranha do que a ficção! Se esta situação fosse apresentada numa novela, o escritor do guião seria ridicularizado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou ganhava um prémio ! Rudyard Kipling quando escreveu "O Livro da Selva" seguramente não pensou numa adaptação à selva de pedra... e bem vistas as coisas o que mais se poderá depreender desta história do que uma criança abandonada à sua sorte e criada por animais ? Mas até nisso o Mowgli foi mais afortunado. Beijinho Mara, obrigada pela visita

      Eliminar
  4. A resposta pode ser complexa. O meu autor favorito sobre o tema é Simon Baron-Cohen. Uma vez que os livros dele não cabem numa caixa de comentários :) aqui fica uma conferência que ele proferiu com a sua abordagem à ciência do mal, com base numa deficiência nos mecanismos de empatia.
    http://tedxtalks.ted.com/video/The-erosion-of-empathy-Simon-Ba
    Tema tocante e profundo.

    Boa tarde, M D :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Zero degrees of empathy - Explica muito da erosão da empatia . A falta de ligação à cria que é inata e imediata nos animais que acabam de dar a luz, aquela aflição, o instinto de protecção ... pode ter queimado o "fusível", há depressões pós-parto com repercussões extremas, homicidas até.
      Não consigo entender a cronologia da situação nem a aparente ignorância do resto das gentes com quem conviviam,... um caso extremo de follie à deux ? ... e as 3 crianças ? a descoberta do mundo passa pelas pequenas descobertas no espaço que nos rodeia; as crianças ? as crianças falam, contam segredos... Nada de anormal ? Ninguém ?

      Eliminar
  5. Também segui a notícia e quero crer que a situação está envolta numa espécie de secretismo, porque depois da notícia, pouco mais ventilou.

    ResponderEliminar
  6. Em França são provavelmente mais recatados com os segredos de justiça e as investigações. Se tivesse acontecido cá, já o Machete tinha idos às TVs pedir desculpas.

    ResponderEliminar
  7. Estou a aguardar a qualquer momento o nascimento do meu primeiro filho e notícias como esta deixam-me pensativa sobre as minhas capacidades como mãe de primeira vez.

    ResponderEliminar
  8. A Mia vai amar o seu filho todos os dias como se fosse o último e o Bebé como o único ser que é verdadeiramente seu. Não se preocupe, que vai correr lindamente.
    Uma hora pequenina e um grande beijinho da D

    ResponderEliminar

É aqui que me mandas dar uma curva