segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Seguindo a Tendência...

"Dai-me um ponto de apoio e levantarei o mundo." - Arquimedes


Eu tenho os meus pés... não levantam o mundo, mas quase,  e são um excelente ponto de apoio.


Há cerca de um ano e tal perguntaram-me porque é que eu não escrevia. 
Assemelho-me constantemente a um personagem de uma telenovela mexicana : eu sou uma espécie stressada crónica,  de Floribella decrépita e meio caquéctica a quem tudo acontece, seja com doenças ( quais encomendas de catálogo) , seja no trabalho, seja em casa, às compras, em passeio, em caminho, durante as férias, sei lá... dia em que não aconteça nada é dia morto e tão raro como a queda dum meteoro em Lisboa.

 Bem que podia escrever sobre isso tudo ! Escrever é catártico! 

Eu , que não sou lá muito católica, não me confesso nem faço psico-terapia;  por vezes dou secas brutais aos interlocutores de ocasião, porque preciso de falar, de desabafar, de golfar as tensões acumuladas,traduzil-las em vocábulos e lançá-las borda fora, deixando a nave mais leve.

Escrevo sobretudo sobre nada em particular. Tenho bons escritos sobre viagens, férias, família, pouca ficção, alguma imaginação, uma pitada de humor.



 Nem sempre sou original mas, afinal o que é realmente a originalidade ? Até os deuses da blogosfera à falta de trunfo, jogam palha, palha produzida e enredada em locuções com inflexões linguísticas rebuscadas, mas ao fim e ao cabo, palha é sempre palha.

Escrevi este post para, como tantos outros  , explicar porque é que tenho um blog e o que é que me move, e para isso bastam apenas algumas linhas:

- Tenho o Blog porque me apetece ; tem dias em que sabe bem escrever e  há quem me leia e goste de ler. Pode parecer estranho, mas é a mais pura verdade. Recebo e-mails chocantes, de pessoas idiotas com palavras odiosas, mas recebo muitos mais, de gente que leu os quase 200 posts que escrevi , que gostou muito duma mancheia deles e que pede para contar mais .

- O que me move por enquanto ainda são os pés, que muito admiro, porque sendo eu estreita de tornozelo, asseguram a proeza de suportar este peso todo, dia após dia sem grandes lamentos.

E depois há a idade... e porque normalmente a antiguidade é um posto, eu, pessoa antiga POSTO !

6 comentários:

É aqui que me mandas dar uma curva