domingo, 18 de agosto de 2013

A Arder

"Jogo fogoso, jogo perigoso" - jogo e adágio popular





Continuando eu meio maneta  não podendo por isso dedicar-me de corpo e alma às actividades que mais me aprazem como a escrita, a culinária ou até a pirataria, não tenho deixado ultimamente quaisquer registos para a posteridade e não só, neste importante espaço de letras e outras sofias que é o Ditos & Escritos, para grande desalento dos meus assíduos leitores e seguidores, a quem eu peço coragem para atravessar estes tempos de grande míngua.


Escrever com uma só mão é muito chato, e se já com ambas me saíam aberrações ortoráficas de calibre de bradar aos céus, com uma só nem lhes conto a trabalheira que dou ao pobre corrector, que já me convocou para informar que em assim continuando, terei que repensar o seu mísero salário. 


Não fora a Minha Guerra, onde me apresento diariamente, maneta, tal qual um veterano da Grande Guerra com a manga vazia  do uniforme dobrada e presa por um alfinete de ama, nada teria que animasse os meus dias da modorra de Agosto. Na Minha Guerra, tédio é uma palavra que não existe, aliás o país devia de ir todo de visita guiada à Minha Guerra para aprender que tédio é uma palavra em desuso, só aplicável a coisas ou pessoas abjectas tipo Vitor Gaspar e outros homónimos, e que devia ser abolida do léxico da língua portuguesa.


Lamentavelmente, falar da Minha Guerra daria pano para mangas, e terá que ficar para uma altura em que possa usufruir de ambas as extremidades dos braços, ou tenha conseguido emprestada a mão biónica que o Luke Skywalker usou no capítulo final.


Em assim sendo, fico limitada às noticias que dominam o País: constituição e fogo.


Sobre a Constituição nem me pronuncio, porque o que é hoje, deixa de o ser amanhã e vice versa, e infelizmente há sempre dois pesos e duas medidas para quase todas avaliações de constitucionalidades. Sobre o fogo, mais uma vez o País está a arder; desde que tenho memória, que há fogos, grandes fogos a lavrar pelo país fora, e tantos anos passados, tantas descobertas merecedoras de Nobeis,  ninguém ainda cogitou como travar este  monstro calamitoso que rouba vidas a todos os seres que respiram e se atrevem a confrontá-lo.



Depois,  há outras ardências, menos tristes mas mais vergonhosas, a quem eu aconselho a leitura d ' O Fato Novo do Imperador de Hans Christian Andersen, e deixo no ar a pergunta,  se afinal the Wicked Witch of the West não terá morrido no fim,  para lá do arco íris,  e  estará por cá, alive and kicking, a apresentar o Jornal das 8 da TVI. Merece aquela expressão tão vulgar nos dias de hoje : "Eh Pah,Fogo !!!"


3 comentários:

  1. Luke Skywalker lost his hand fighting Vader in Episode V not in the final chapter.

    ResponderEliminar
  2. By all means, Han, my bad !!!! Sorry...

    ResponderEliminar
  3. My God, I'm so slow !!! Han, like... Solo ?!?!? For crying out loud, my friend, I'm feeling lesser than a worm, Sire. Your presence in my humble blogg!!
    My best regards to my hero, Chewbacca, the guy that never lost a minute in his life shaving his eyebrows !!!!! And thank you vor visiting !! :):):)
    Heaven, I'm in heaven....

    ResponderEliminar

É aqui que me mandas dar uma curva