segunda-feira, 13 de maio de 2013

Há sempre uma linha que separa, e outra que mete dó...





"A realidade é inacreditável." - Clarice Lispector





Na vida tudo é uma questão de prioridades, por isso tem vezes que dou por mim a pensar como é que nestas décadas todas que me assentam nos ombros, nunca fiz isto ou aquilo. Está claro que engendro mil justificações, mas nenhuma me soa convincente. Não fiz , porque não fiz, e pronto.

Não estou a falar num safari no Quénia, ou ir ao Extremo sul da Tierra del Fuego passear nos glaciares e saborear um Martini on the mellennial rocks , ou sequer apanhar uma bateria de vacinas para me poder purificar no Ganges... estou a falar de coisas tão simples para um Lisboeta, como ir ao Cristo Rei, ou subir ao Padrão dos Descobrimentos ou ir ao Jardim da Estrela ( toda a gente vai ao Jardim da Estrela !!)  por exemplo.



Isto a propósito dum evento no trabalho do Marido, que ontem teve lugar em Cascais. Há que tempos que não vou a cascais, pah !!! Cascais é já ali ! 
Bora lá, que troco o plantão na Guerra  e vamos de COMBOIO.

E fomos.

E agora, duas ou três palavrinhas sobre a a linha de Cascais, cujo percurso não fazia com olhos de ver há algum tempo, sim, porque pegar na filha e ir comer um gelado ao Santini enquanto se conversa pelo caminho sobre aquelas coisas tão importantes que fazem parte das cumplicidades das mulheres , não é seguramente apreciar o percurso com olhos de ver... ou talvez tenha sido a companhia sempre sagaz e crítica do Marido,   ou talvez porque estou inevitavelmente  mais velha e seja por isso, sei lá.

A linha está como estava há trinta anos ... ou mais...
As novidades são passagens pedonais, umas construções estranhas cujo gabinete do PDM na altura deve ter jantado fartas mariscadas acompanhadas dum Chardonnay branco Louis Jadot de 2006...
É deprimente a sujidade, ruínas, espaços imensos devolutos... O Mónaco... ai o Mónaco onde o Tobias afagava gentilmente o piano enquanto a elite jantava calmamente e a suavidade pairava no ar ( saudade do Tobias, do Funil Gordo, da Casa do Canto...) . O Mónaco é uma ruína  é uma vergonha. É um atentado à vista e à história.

A Fundição de Oeiras, outro espaço burocraticamente abandonado, albergando somente drogados e os fantasmas dos seus dias de glória, quando em metalurgia e metalomecânica dava cartas no panorama económico português...Outro crime de lesa- património...




O Edifício da Colónia Balnear Infantil O Século, essa pelo menos  está de cara lavada...



A CP ... A CP recebe os utentes nacionais e estrangeiros, em estações com edifícios degradados e encerrados, máquinas-bilheteiras avariadas, ou então moldadas em caça-niqueis, NÃO EXISTE QUALQUER INFORMAÇÃO seja em que língua for.... os comboios do tempo da Maria Carqueja, com a cara lavada, mas verdadeiramente metidos num chinelo pelos da Linha de Sintra... decepção, enorme.

É a linha, o paredão , à laia de calçadão... vá lá, algo positivo, mas que fez recuar metros e metros de mar, e depois é uma construção desordenada, onde predominam hotéis que ferem a vista e onde os areais de praia encolheram subitamente... Onde é que está AQUELE Tamariz, pah ????    E estradas, muitas... e viadutos, muitos... e verde??? onde ???

E que coisa amorfa e pálida é aquela no cimo do dum jardim do Casino que já viu melhores dias ???

Mas não era este percurso  a nossa Costa do Sol ? Não era esta a panorâmica do postal Ilustrado das praias de Lisboa ??

Salvou-se Cascais. O Parque das Merendas foi parcialmente vendido para edifícios de apartamentos e as fortalezas deixaram o  antigoesplendor nas mãos dos pós-modernos,  mas o mar ... está lá o mesmo mar mar... Ahhhhhh o mar é sempre o mar.



"Homem livre, tu sempre gostarás do mar."
Charles Baudelaire



8 comentários:

  1. É mesmo assim, por vezes esquecemos de aproveitar as coisas fantásticas que temos ali ao pé.

    ResponderEliminar
  2. E sabes que andei mais de 3 km A PÉ ?!?!?! ... é que isto para mim, exímia sofa-surfer é um feito brutal :D:D .... agora quer é continuação :D:D

    ResponderEliminar
  3. acuso projecto de vida ir a glaciar :)

    meus pais tb me iniciaram no ritual de ir ao senhor santini.
    mas nunca tinha visto a linha nessa perspectiva, para mim até achava positivo esse paredão onde se pode andar de bicicleta e passear, antes não havia
    Irmã mora na linha e vem muitas vezes de bicicleta até lisboa

    ResponderEliminar
  4. Poder percorrer a Marginal quase até ao Guincho a pé ou de bicicleta, foi muito bem concebido. Quem conheceu "A Linha" como eu conheci, não pode deixar se sentir um profundo pesar... principalmente se estivermos a falar em carris, túneis, estações e comboios.

    ResponderEliminar
  5. As fotos são muito boas. São tuas ?
    Mia

    ResponderEliminar
  6. São as quatro tiradas como o Telemóvel. :)

    ResponderEliminar
  7. A natureza é sempre algo de mágico.

    Agora onde o Homem põe as mãos é diferente.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Adorei o Mar... saudades DAQUELE mar....

    ResponderEliminar

É aqui que me mandas dar uma curva