domingo, 10 de fevereiro de 2013

Adeus...

"Se quiseres poder suportar a vida, fica pronto para aceitar a morte."- Sigmund Freud

Lá fora está glacial ...
Cá dentro também...

O vento frio que sopra forte e gélido apagou a chama ténue que prendia a mãe Aurora à sua trouxa terrena, à sua tormenta, à sua dor.

Morreu como viveu, serena e em silêncio. Nunca , durante os nossos 35 anos de convivência, lhe ouvi um arremedo, um resmungo, uma má palavra.
 Era uma meia leca de gente cheia de genica, tudo andava a nove ao seu redor. Adorava os filhos e os netos. Não quis Deus que tivesse a  sorte de se encontrar em plena posse das suas faculdades quando nasceu o primeiro bisneto. Pensamos nós que não. Só Deus sabe o que lhe iria na alma, encerrada naquele invólucro de pele e osso, incapaz de comunicar. Queira Deus que não  tenha sofrido enclausurada horas, dias, meses, anos, dentro de si mesma, ela,  que vivia a vida tão intensamente.

Foi num instante, foi nas asas no vento, leve como um pestanejar.

O Marido chora, como o menino que largou a mão da mãe e a perdeu  no escuro ; eu choro por ele, choro por ela, choro por mim. Não sei se é o fim, se é o princípio, se é um recomeço... Sei que é saudade, sei que é Adeus.

Fica bem, mãe Aurora.

Até sempre! Fica em PAZ


9 comentários:

  1. :( Muito bonito o que escreveu, Maria. Beijinho e muita força.

    ResponderEliminar
  2. Ai Maria, lamento tanto...
    E agora fiquei eu a chorar também...por vós, por nós, por medo...
    Um beijo e xi muito apertado Maria!

    ResponderEliminar
  3. Tenho a certeza que a Mãe Aurora reconheceu a sorte de ter uma nora assim, que a respeitava e admirava. Isso já foi muito que lhe deste, Maria, mas de certeza que lhe deste ainda muito mais. Um beijinho grande

    ResponderEliminar
  4. obrigada minhas queridas. as despedidas são sempre dolorosas. Braga aguarda-nos.

    ResponderEliminar
  5. Minha querida D,

    Não é um adeus; é um até breve. Um dia irão rever-se... Agora, fora do invólucro corpo, a sua alma, liberta do sofrimento, irá segura e serenamente zelar por todos vós.

    um grande beijinho, querida e muita força. Que Deus vos ampare nesta hora difícil.

    ResponderEliminar
  6. "Braga aguarda-nos"?????????
    Esclarece-me, pleeeeease.

    ResponderEliminar
  7. Sabes Miúzinha, quando as palavras não chegam nem ajudam em nada ?
    Pois é... animar o espírito é fundamental. Braga é, e sempre foi, a casa da mãe Aurora, e onde está o talhão da família ( tétrico, mas real...) . A angústia de não poder ajudar o Marido senão com palavras foi esmagadora. Agora lambem-se as feridas e espera-se que o tempo, como habitualmente, tudo cure... Eu sei como é... cicatriza, mas deixa sempre marca, mas e vida continua e corações ao alto !

    ResponderEliminar
  8. Só as pessoas cheias de sabedoria não se lamentam.
    Eu sou uma verdadeira ignorante.

    Beijo

    ResponderEliminar

É aqui que me mandas dar uma curva