sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Cansaço...


CansaçoO que há em mim é sobretudo cansaço — 
Não disto nem daquilo, 
Nem sequer de tudo ou de nada: 
Cansaço assim mesmo, ele mesmo, 
Cansaço. 

A subtileza das sensações inúteis, 
As paixões violentas por coisa nenhuma, 
Os amores intensos por o suposto em alguém, 
Essas coisas todas — 
Essas e o que falta nelas eternamente —; 
Tudo isso faz um cansaço, 
Este cansaço, 
Cansaço. 

Há sem dúvida quem ame o infinito, 
Há sem dúvida quem deseje o impossível, 
Há sem dúvida quem não queira nada — 
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles: 
Porque eu amo infinitamente o finito, 
Porque eu desejo impossivelmente o possível, 
Porque quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser, 
Ou até se não puder ser... 

E o resultado? 
Para eles a vida vivida ou sonhada, 
Para eles o sonho sonhado ou vivido, 
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto... 
Para mim só um grande, um profundo, 
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço, 
Um supremíssimo cansaço, 
Íssimno, íssimo, íssimo, 
Cansaço... 

Álvaro de Campos, in "Poemas" 
Heterónimo de Fernando Pessoa























É assim tão mau não querer ver nada, não querer ouvir ninguém, não me apetecer falar ?

É assim tão mau querer algumas horas de paz e silêncio sem toques de telefone, sons de mensagens, campainhas, motores de máquinas, centrifugações…

É assim tão mau apetecer gritar que me deixem em paz, que me dêem sossego, que me deixem o peito vazio de opressões e o cérebro relaxado, sem ter que estar a 100 à hora, sempre a correr para algum objectivo de escolhas múltiplas, em que cada resposta cria um universo paralelo?



É assim tão mau querer o coração a bater tranquilo e compassado dentro do peito e não gémeo dum puro sangue, sempre na recta final duma corrida desesperada, sempre a galopar, sempre a martelar um eco surdo nos ouvidos, sempre a arfar nós na garganta...

É que cansa. Cansa muito. Cansa saber, cansa ainda mais pretender saber e não poder. Cansa querer fazer e ser impotente. Cansa querer.

Quero paz.
Querer cansa.

5 comentários:

  1. Não só não é nada de mal, querer essa paz, desligar, descansar um bocadinho, como também é bastante desejável e saudavel.
    Foge Maria!
    Foge para um lugar assim (nem que seja dentro de ti).

    ResponderEliminar
  2. Eu querer, até queria, mas não posso... nem me deixam...

    ResponderEliminar
  3. "Take it easy"! A vida é demasiado curta... Uma coisa de cada vez - é o meu lema.
    Um beijinho e coragem, Maria, sejam quais forem os desafios.

    ResponderEliminar
  4. Como a compreendo

    ResponderEliminar
  5. Sexinho, Miúzinha, Marta, vocês são umas queridas ! Eu sei que tenho que ter calma... tempo, é o que eu preciso... Beijinhos

    ResponderEliminar

É aqui que me mandas dar uma curva