quinta-feira, 30 de agosto de 2012

The Final Countdown



É Zero !!! É Zero !!!!

E pronto ! Entrei oficialmente em período de descanso !

Depois de toda a fadiga e de todas  montanhas que tive que ultrapassar - montanhas de trabalho, montanhas de barulho, montanhas de aborrecimentos, montanhas e montanhas de gente, vou finalmente enfrascar-me com uma lata de Guiness, ler escritores famosos numa porrada de línguas diferentes e ouvir Greenday ( Punk Rocks !!!) porque a Brunhilde também foi de férias...espero encontrar a tranquilidade que almejo e não acabar com um grande galo...

A partir do próximo Sábado, vou tentar manter um jornal sobre a temporada de banhos a Sul.

Fiquem atentos a " Dois Pergaminhos no Mar Morto" !!!


See you !





quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Hell'S Catching !!


Hell’s Catching







Consta nos anais da freguesia onde nasci e me criei, que depois da minha triste adolescência como gafanhoto pencudo e palhaço de serviço, me tornei uma senhorinha bastante bem apessoada , arrastando uma doze razoável de corações por aí a palpitar.



 Levada da breca e Catching qb… que receita infernal para uma miúda que em 2 anitos foi do 8 ao 80… Calhou conhecer o Marido aos 19 anos e casar aos 22, trazer ao mundo a primeira Pérola aos 23  e end of story…


Sempre fui algo critica em relação á minha aparência . Abominava o nariz dos Roque, que apesar de me dizerem que me dava um ar clássico e aristocrático ( a Cleópatra era nariguda e ainda hoje é considerada  um ícone de beleza) sempre o achei uma penca medonha e detestável que se projectava a meio dos olhos sombreando  todo o rosto como uma árvore do Inferno.


As pernas, eram uns canivetes compridos e desarticulados, que me envergonhavam sobremaneira, e que eu escondia com quilómetros de tecido de boca de sino.



Quando se usava a mini saia, eu  era o protótipo do esqueleto vaidoso; 
quando as calças se tornaram uma peça obrigatória em qualquer closet feminino, já a cintura e as malditas ancas tinham adoptado a linha, que tem como definição ser curva, fechada, com todos os pontos á mesma distância dum ponto interior chamado centro (… as coisas que eu sei, carago!!!)
Tenho aquele problemazinho tão comum á maior parte das piquenas rechonchudas, que é vestir um número da cintura para cima, e mais 4 da cintura para baixo, mas estou finalmente em paz com a aparência que não me vai seguramente obrigar a nada….
 Até mesmo  em relação ao rosto, mais bochechudo e menos narigudo, penso que melhorei muito com a idade. No auge dos meus 30 anos, o espelho sorria-me malandro todos os dias e eu aceitava a corte.


Os trinta já foram e os 40 também, mas honestamente, não estou assim TÃO mal como costumo pintar,não fora não ser nem pouco mais ou menos fotogénica, e quando confrontada com a minha  imagem,   sentir o impulso irresistível de cantar o We all Stand Together - vá lá saber-se porquê. 



Acho …  Penso e afirmo mesmo, que sou uma cota redondinha, engraçada e agradável. Assumo a minha condição de bola de Berlim com olhos com a maior naturalidade e não me chocam minimamente crónicas de anorécticas sobre gordas, principalmente quando as ditas subnutridas, são feias, hediondas mesmo.
 Desde quando é que é necessário ser-se lindo para se ter beleza ? Não estou sequer a falar da treta da beleza interior, mas da outra, aquela que a harmonia do intelecto espelha no rosto .





Ah,  pois, para o rosto ser o espelho do intelecto, é preciso ter… rosto, claro… Diziam os antigos que há pessoas que nem cara têm para levar dois estalos… pois,  não têm cara , mas que precisavam do par de estalos….




PS.: Queria deixar um pensamento que nada tem a ver com o post, mas esta urgência, este impulso de contar é mais forte do que eu : Depois das remodelações fiquei com o espaço nos quartos de banho optimizado, fantástico, mas SEM BANHEIRAS !!! Como Deus meu, como poderei relaxar, filosofar sem um banho quente de imersão , não me dizem ??? Nunca poderei perdoar a minha falta de visão !! Estou desolada....

sábado, 25 de agosto de 2012

Store Wars

Store Wars




A vários anos luz da Terra, existe um planeta com 2 luas – estar só com uma lua, já não dá pica – chamado Cacooine, cujos habitantes acabavam volta e meia feitos em cacos pela presença da Força, que não estava com eles mas rodeava-os e  pressionava-os por todos os lados até rebentarem.



Todos os dias Oldbacanosa cumpre a sua penitência e arrasta-se do seu poiso no alto dos Judland 
para a inóspita região de Sea   of June, apesar de ser Agosto,

 lugar tenebroso  por onde proliferam os Jawas, tipo piranhas humanas que atacam em bandos, com sotaques  estranhos  e exaurem os demais  até ao colapso total,




 e os Tusquien , que, como o nome indica,  normalmente vão buscar lã e voltam tosquiados , tornando-se extramente agressivos e afrontosos principalmente após as refeições, em dias em que o calor aperta e a sede desperta.




Oldbacanosa que habitualmente domina a Força na boa, anda em período de pilha sem carga e apesar de bastas vezes ter tido ganas de enfiar os dedos numa tomada para ver se o tal ditado que diz que o que não nos mata  torna-nos mais fortes realmente funciona,

 tem tido genuína paciência de Job para aceitar a adversidade, sempre expectante  na volta do redentor, por quem anseia há eternidades e de quem se diz que voltará numa manhã sem nuvens do local chamado Vacances, sitio com muitos sois , areias e águas revoltas
  e, portador das chaves mágicas, desgrilhoará Oldbacanosa e livrá-la-á da sua miséria.


Só que nunca mais é Sábado ( ...bem sei que é hoje, mas não encaixa bem na narrativa, por isso…)!!! Nada ! Pois que nem um Luke sem Luck ou um Han, solo ou acompanhado dum Chewternera… Nada !




  Oldbacanosa começa a desesperar e roga pragas ao tempo, esse inexorável tirano que a mantém prisioneira sine die. Mas até o raio do Tempo  “ tá de chuva ”-o  que na actual gíria teen, quer dizer népia, não está nem aí… Alturas há em que Oldbacanosa até pensa no Whitevader  e no bittersweet  oblivion que poderia trazer à sua agonia, mas,  Fogo !!! Não faltava mais nada ! Oldbacanosa é só uma atormentada crónica, não é parva nem masoquista !!!


 Oldbacanosa é crente e sabe que quem espera sempre alcança, por isso enfia o capuz, compacta da melhor maneira a “ Ich bin ein Berliner” , ajeita o nó na garganta e arrepia caminho…


 É uma seca deveras brutal, mas não há mal que sempre dure e o vento que sopra do sul sussurra-lhe que a mudança está a chegar… e quando chegar, ó abre!
 Oldbacanosa , qual fonte de luz verde,  dará tão rapidamente de frosques que de si restará apenas o mito e a saudade (...you wish...).



»»» E a contagem decrescente “decresceu” para … (rufo levezinho)… 6

PS : Foi uma coisa assim repentina   e inexplicável: senti grande exortação de finalizar este post com uma foto de placas com direcções... estranho e assustador ...

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Amigos, amigos...

Amigos, amigos...




A família normalmente está sempre presente para nos apoiar nos bons e nos maus momentos... E temos os amigos. Tenho poucos, mas bons, que  nunca me deixaram na mão sempre que precisei de apoio.






E depois há os outros amigos, aqueles de todos os dias, que nos dão conforto e tranquilidade, que facilitam as nossas vidas, que estão sempre presentes quando temos muito que dizer e não nos apetece mesmo nada ter interlocutores,




 que nos transformam ingredientes básicos e tão corriqueiros em mil delicias,






 que nos deixam falar,  escutam sempre com atenção e partilham das nossas opiniões, pois nunca nos contradizem.





Aqueles amigos que nos dão uma sensação de segurança,






que transformam segundos da vida em momentos mágicos,








que nos lembram constantemente que o mais importante é a saúde ,






 que nos acompanham para todo lado, e  têm o condão  de transformar tediosos momentos de ócio em momentos de puro prazer.





Sou tão dependente destes amigos, que não consigo imaginar o meu quotidiano sem eles, o que não é de todo  muito positivo, e é por isso que anseio por aquele período do ano em que tenho o TEMPO  só para mim, ou para o viver a 2 o mais basicamente possível, levando apenas os melhores dos tais amigos na bagagem... 



Está a chegar e eu estou ansiosa ! Começa hoje a contagem decrescente »» 8...

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Dos Fracos não Rezam Histórias


Dos fracos, não rezam histórias…


Ontem cheguei tarde e exausta. A Pérola Menor esperava-me acordada, para vermos um filme…
 Ó mãezinha !!!!  … estou TÃO cansada, que não me apetece mesmo nada ver filmes, ou então caio para o lado e adormeço passados 10 ou 20 minutos.



 “- É de acção, deve ser divertido, não dá muito que pensar e está cheio de gajos bons”.



Pensei 2 vezes, 
tratei do ritual noturno de desbetumar a fachada e outros etecéteras, e preparei-me para ver 



Cumpre exactamente aquilo a que se propõe: muita parra, pouca uva, gajos para lá de bons on steroids, acção, comédia qb, arrancando um sorriso aqui e ali. Quando uma pessoa passa  quase metade da sua existência a lidar com trogloditas, qualquer Thor barbudo lhe faz brilhar a menina do olho…


Como não podia deixar de ser, assalta-me a inevitável comparação com a minha BD da Marvel : será que o who’s who funciona ?? Até funciona: os gajos bons da tela vestem bem a pele dos personagens do Stan Lee ( que ainda mexe e fez o habitual "boneco") e do Jack Kirby, tanto no que respeita á linguagem corporal, como á personalidade. Está dentro do considerado escapatório para uma aficionada de BD.


Claro está que me identifico sempre com o Hulk… com raios gama, sem raios gama,com raios que o partam, whatever,...
 uma pacata cinquentona rechonchuda pode a qualquer momento saltar-lhe a tampa e transformar-se num monstro verde danado para a cacetada, onde a célebre máxima que diz que “brincadeiras de mão, são beijos de burro” cai como uma luva.
Não quer saber de convencionalismos sociais, arreia forte e feio e ninguém tem mão nele.


E já que foi lançado um repto às minhas caras bloggbuddies  sobre qual a foto que melhor as  identifica-  a minha é bem clara-  

lanço agora outro : 


Qual é o seu Hulk escondido ??

... o que é que lhe faz sair do sério, e  faz despertar o monstro que há em si ???


Por mim respondo já : atrasos e atrasados ( mentais incluídos, daqueles tipo moron, pululantes na população em geral)




Desmistificai-vos, e ponde-vos a nu !!!

PS : É engraçado verificar que quando se publica algo diferente, mais irreverente ou com alguma dose de loucura, parece que de repente apanhamos lepra... que é isso de e-mails repreensivos, hããã ????... Tschhhhhhhhhhhhh....


sábado, 18 de agosto de 2012

De Porcos e Maus


De Porcos e Maus



Apesar de se considerar lisboeta dos 4 costados, pois veio para a capital ainda não tinha 2 anos, o Pai nasceu em Gaviãozinho-Sto. André das Tojeiras, Castelo Branco, 
e mantinha estreito contacto com a família que lá ficara, irmãos do pai e da mãe, em particular com o Tio Daniel e com a Tia Maria Adelaide, que viviam nos Rodeios, perto de Vila Velha de Ródão .


Por volta de  meados dos anos 70, o filho dos tios, Primo Manuel, convence o Pai a comprar um porco da sua pecuária, que seria criado por eles a expensas do Pai, e quando estivesse “no ponto” far-se-ia uma grande matança, e transformar-se-ia  o que não fosse lombo nem miudezas em presuntochouriços, morcelas e farinheiras.



E foi assim, que no Inverno de 1978 a entourage dos Roque abalou para os Rodeios para matar o porco.





Não há como descrever o antes … é primitivo, desumano, mau demais… Eu e o Pai fingimos ir buscar qualquer coisa e fugimos com os guinchos do pobre animal a ouvirem-se a léguas.



 Voltámos já estavam a recolher o sangue, que assim que jorra ,é retirada parte e imediatamente cozido em água fervente com um pouco de sal, e distribuído ritualisticamente por todos  acompanhado de vinho, como parte de um cerimonial milenar de prosperidade.



Depois há que recompor e trabalhar : chamuscar com ramos de tojo ardente, raspar abrir e começar a desmanchar. Aproveita-se tudo : rins, fígado, coração, miolos… Retiram-se os lombos e lombinhos, as mantas de toucinho, as mãos e pernas para untar e pôr no fumeiro.


 As tripas são lavadas 12 vezes no ribeiro gelado até ficarem limpas e (quase) sem cheiro. O resto é posto num alguidar e depois de almoçar,

Carnes
 toda a mulherada munida de um pau bicudo onde espeta fatias de carne e faca afiada, vai cortando pedaços magros e gordos para vários alguidares de barro, onde a Tia porá depois o tempero  com alho, cravinho, colorau, pimenta vermelha e sal, e outros , dependendo do propósito a que destinasse a carne, o sangue, etc.


No dia seguinte, depois das tripas terem enxugado e arejado, procede-se á difícil tarefa de encher chouriços na "loja" da casa. Pode não  parecer, mas um só porco tem muita carne e as vizinhas vieram todas ajudar ao enchimento e depois atar e pôr ao fumeiro , cantando-se as modas tradicionais para a ocasião.


O Pai adorou o resultado quando alguns meses depois fomos buscar os enchidos, as entremeadas curadas e os presuntos, mas acredito que,
 tal como os restantes membros da entourage, quando fechava os olhos no silêncio da noite, conseguia ouvir os guinchos do animal… eu ainda hoje os recordo como se fosse agora… foi a última vez que participámos numa Matança do Porco .

Voltámos a matar porcos na quinta da Barra Cheia/Moita, mas nunca mais estivemos presentes para acompanhar de perto a tradição.