sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Este país vai ser para velhos




"As crianças acham tudo em nada, os homens não acham nada em tudo." Giacomo Leopardi





As minhas crianças cresceram, amadureceram e estão prontas para dar frutos. Estão prontas para poder conceber e receber as suas próprias crianças, e eu estou mais do que pronta para ser avó.



Gostar, gostava; querer, queria muito; acontecer, não sei…


A juventude de agora que tem 2 dedos de testa, pensa nas consequências antes de consumar os factos. Pensa no amanhã, na renda da casa, na prestação do carro, no preço da comida, no preço da roupa, no aumento criminoso dos impostos. Pensa que criar um filho é complicado, não só a nível das limitações que impõe à vida de cada um, mas também e principalmente a nível financeiro naqueles casais que não têm uma futura avó ou avô reformado e disponível para fazer as vezes de ama ou de infantário.


O quadro de acordar antes do sol , preparar uma criança violentamente desperta do seu sono,  transportá-la como uma trouxa  para depois  a depositar  em mãos desconhecidas  a troco de metade do nosso salário mensal, sem garantias de desvelos que aquietem o nosso coração angustiado, não tem moldura nem cores apelativas, bem pelo contrário, afigura-se triste e tormentoso.


Quantas e quantas vezes se faz ouvidos moucos ao amargurante tic-tac do relógio biológico, só porque não se vislumbra outra solução ?



Acredito que a população Portuguesa entrou numa fase de crescimento negativo : as mulheres têm cada vez menos filhos e cada vez mais tarde.



Por este andar, daqui a mais uma dúzia de anos Portugal vai ser a Gerontolândia da Europa, um recinto de e para a 3ª idade, que como um carrossel gira á roda dum eixo imaginário,  sem qualquer tipo de diversão nem futuro, e em que a alegria dum riso de criança é um conceito descrito em livros de alfarrabistas.

9 comentários:

  1. Hoje estou deprimida e apesar de ter contribuido com a minha parte para a jovialidade do país (com 4 rebentos) sinto-me triste, terrivelmente triste.
    E já não sei que esperar.

    beijinho

    ResponderEliminar
  2. Quando os colonos chegaram ao Novo Mundo, os índios não os levaram em grande conta porque pensaram que tinhas "paus de fogo" e que barulho não mata... mas moi, e água mole em pedra dura.... Amanhã vou ver se consigo fazer muito barulho... por nós todos.
    E tu anima-te piquena, que mesmo quando há nuvens, o sol está a brilhar !!

    ResponderEliminar
  3. Já passaram umas horas e a depressão foi-se.
    O melhor é aproveitar cada segundo. Sei lá o dia de amanhã.
    Vou aproveitar as minhas insanidades chamadas filhos e sufocá-los com beijinhos. Há lá coisa melhor...
    Só espero conseguir ter comida para eles... sempre.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Também estou mais que pronta para ser avó.Gostava e queria muito mas se vai acontecer, é com eles. Quem quer um filho, se vai pensar nisso tudo nunca o vai ter. No meu tempo já tive todos esses contras mas não pensei muito, deixei correr, pois queria muito e com alguns sacrifícios ( talvez a juventude de hoje lhe custe mais perder alguns privilégios)valeu a pena.

    ResponderEliminar
  5. Era para ser este ano, para o ano... para daqui a dois anos... Eu espero... Sou paciente... :)

    ResponderEliminar
  6. O futuro está hipotecado!! Muito triste pensar que gerações futuras estão em risco por causa de um mísero valor monetário virtual: o défice!Ao que nós chegamos...

    ResponderEliminar
  7. otimo post!

    Você que é lojista ou sacoleira, compre seus folheados A OURO pela internet.
    São brincos, pingentes, gargant., anéis e tudo o que você precisar a um preço
    especial(a partir de 1,99 reais). Acesse agora mesmo:
    http://www.imagemfolheados.com.br/?a=31181

    ResponderEliminar
  8. Tanta razão Maria!
    E eu que queria vir a ter a ranchada de netos que não tive de filhos!

    ResponderEliminar

É aqui que me mandas dar uma curva