quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Pensar em não pensar





Não há machado que corte a raiz ao pensamento



Cogito ergo sum… Existo porque penso, ou penso porque existo ??  Pensar, pensar… pensar cansa.


E ultimamente tudo dá tanto que pensar…


Pensar na família, no país e no estado a que isto chegou … na vida … Ninguém está a caminhar para mais novo, e isso é algo que matuta sempre no nosso íntimo.




 Não sei porquê, nunca me pensei velhinha, e se por um lado é um pensamento reconfortante o de atingir uma vetusta idade , por outro é aterrador pensar em como se estará de corpo e mente, se e quando lá chegar.


Penso em ter paz, em ter netos, em lhes ensinar a viver com dignidade, em lhes incutir o gosto pelo cinema, pelos livros , pela culinária, pelas línguas, pela cultura , pelo respeito… o amor pelos animais 
... em lhes dar a mão e guiá-los através dum mundo bom, justo e feliz...Penso que gostava que pensassem em mim como uma pessoa boa; como uma boa pessoa, uma pessoa empreendedora, diligente e capaz, inteligente e divertida.


Penso no que pensava, quando era criança, quando era menina, quando fui senhora, quando me fiz mulher, quando casei, quando fui mãe… O tempo muda tanto o pensamento…


Tive muitos pensamentos maus, outros tantos paradoxais, centenas deles tenebrosos, alguns lascivos, outros brejeiros, mas na grande maioria das vezes cogitei positivo, luminoso e feliz.


O meu pensamento não pára de pintar quadros de antecipação, mas o futuro continuará  envolto no seu véu de incerteza. Quero pensar hoje só no agora, e deixar  o amanhã para pensar noutro dia, mas o pensamento não pára, provavelmente nem sequer para pensar.


Estou a pensar neste momento que estou cansada de pensar, e se não há machado que corte a raiz ao pensamento, talvez tenha que pensar em tomar decisões mais drásticas e falar com um especialista em cortes… infelizmente  é praga  que pulula por aí aos magotes.


4 comentários:

  1. Para de pensar não é bom.
    Contudo, umas férias de quando em vez pode ser muito revitalizador.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  2. Desde há uns tempos para cá o penso, logo existo, foi substituido pelo, dispenso, logo desisto; e é uma pena...

    ResponderEliminar
  3. E eu como não sou de desistir, nem quero pensar nisso... é por isso que ando estafada...

    ResponderEliminar
  4. Já descansaste dos pensamentos ou ainda pensas?
    Olha que podes ter um esgotamento.

    Beijinho

    ResponderEliminar

É aqui que me mandas dar uma curva