sexta-feira, 27 de julho de 2012

Palavras, palavras


Palavras

Costuma dizer-se que para bom entendedor, meia palavra basta… ou bons entendedores são uma espécie em vias de extinção , ou o ditado não pode ser mais errado.


Eu assumo que falo pelos cotovelos e penso que ainda não me calei desde que por volta dos meus 6 meses pedi  um guardanapo. Quantas palavras não terei já pronunciado na minha vida desde esses meus dias de bebé de colo ?


Aprendemos as letras que formam palavras, que formam frases, que nos  ajudam  a comunicar e assim podermos viver em sociedade. É também dito antigo que a falar é que as gentes se entendem… ou então não. Falar cansa, e repetir as mesmas frases vezes e vezes sem conta leva-nos á exaustão.


A palavra escrita 
numa língua comum a todos os que a lêem, não deveria ser o bastante ?  No nosso país não se escreve em cirílico, nem em mandarim, nem sequer em grego, apesar de eu muitas vezes me ver grega para explicar uma simples mensagem, que nem sequer precisaria de explicação. Será que a maior parte desta  população demográfica é míope ???


Preocupa-me que o meu cérebro ainda não tenha feito reboot, e não consiga distinguir os acéfalos dos seres pensantes  e ande a embrulhar tudo no mesmo saco, inclusive ele próprio...
 Será que sofro da síndrome da península e penso que ando rodeada de gente irracional e relapsa por quase todos os lados ?! ( se bem que os seres redondos não têm lados, mas enfim… JJJ )


Quando  “ as palavras, leva-as o vento”, damo-nos conta que estamos a falar “para o boneco”, e seria seguramente mais fácil gravar um CD com a retórica do costume e deixar á mão de semear com a indicação Se lhe faz Confusão, carregue no Botão e oiça a Explicação”.


É certo que estamos a atravessar tempos conturbados, que as pessoas andam alteradas, mais tristes, mais desanimadas, mais cansadas, mas será que isso afecta a compreensão e tornando-a mais lenta e estupidificada?  Não acredito, pela simples razão que a compreensão não é selectiva,  mas  as pessoas só entendem o que lhes convém. Creio sim, e piamente,  que o chico-espertismo voltou a estar na moda( se é que alguma vez saiu) , e as pessoas fazem-se e fazem-nos de parvas .



Para redobrar a capacidade, vou comer uma bela tijela de Sopa de Letras, porque penso que, mais do que dar uma palavra, vou ter que despejar os 3 volumes do Koogan-Larousse .
 





耐心是一種美德


2 comentários:

  1. Infelizmente não penso que seja só a crise que esteja a afectar o raciocínio dos portugueses! Esta faceta dos tugas já vem de longe...:(

    ResponderEliminar
  2. É isso mesmo... nós é que temos sempre a tendência para desvalorizar e arranjar desculpas...

    ResponderEliminar

É aqui que me mandas dar uma curva