sábado, 7 de julho de 2012

O Star -Child


O Child Star-System:


O sistema de estrelas foi o método de criação, promoção e exploração de estrelas de cinema  no cinema clássico de Hollywood. Os estúdios  seleccionavam  jovens e promissores atores , e rodeavam-nos de glamour , criando-lhes novas personas, muitas vezes inventando novos nomes e até mesmo novos passados.



Quem não se lembra to “The Kid” – o fantástico miúdo do Charlot que nos levou às lágrimas sem proferir um som? Ou da endiabrada Shiley Temple, que era o ai Jesus de miúdos e graúdos, e que representava, cantava e dançava,  e era tão ternurenta que comovia meio mundo? Poucos há que nunca tenham ouvido falar destes dois gaiatos, quando crianças.

De todos as crianças endeusadas pelo Star System, poucos atingiram a idade adulta com a mesma notoriedade que tinham quando pequenos. Raros são os modelos de carreiras cinematográficas consolidadas das Star-Children; só alguns  souberam passar a barreira da idade e largar as fraldas dos dos papéis infantis com sabedoria, exemplo da grande Elisabeth Taylor, do magnífico Ron Howard, ou do bizarro Christian Bale.


Outros houve que, apesar de não se terem estreado em crianças no grande ecrã, foram incontestáveis estrelas, na televisão, como é o caso da Britney Spears, Christina Aguilera e Justin Timberlake, que começaram como Mouseketeers no Mickey Mouse Club, e conseguiram afirmar-se como músicos a nível internacional, em bandas ou a solo, com algumas incursões no cinema com melhores ou piores resultados.

E eis que chegamos ao ponto S (de sh*t). É claro que os Ditos & Escritos refletem a minha opinião das coisas e eu tenho opiniões muito radicais acerca de muitas.
O Justin Bieber.
 Não pergunto “Quem tem medo de Virgínia woolf” – Livro fantástico, filme magnífico com a dupla Taylor-Burton no seu melhor – pergunto: “Quem acha piada ao Juntin Bieber”???  Eu já tentei, mas não consigo…




Toda a máquina publicitária que o envolve é repulsiva, o que torna o miúdo um tanto viscoso e palerma, a armar aos cucos e a alimentar polémicas sexuais idiotas.

 Aquela  paranóia esquizofrenoide que os nossos pais e nós próprios experimentámos na adolescência com os Beatles, os Rolling Stones, os Genesis ou os Metallicca, vemos agora acontecer com crianças de 7 ou 8 anos, por causa dum puto que canta menos mal umas músicas assim assim, que tem um penteado estupido , cara de palerma, e não tem MESMO graça nenhuma. E o pior, é que os pais das criancinhas acham piada...

Believe it : 
Tem um concerto marcado para no Pavilhão Atlântico para 11 de Março de 2013, e a venda dos bilhetes postos em circulação na passada 6ª Feira 2 de Julho, no contexto desta crise que o País atravessa, consegue ser mais rápida que o Curso de Relações Internacionais do Ministro dos Assuntos Parlamentares.


Felizmente que as minhas filhas já não estão dentro dessa faixa etária, por isso não tenho com que me preocupar. Para além do mais, herdaram o bom gosto da mãe…  J    

Sem comentários:

Enviar um comentário

É aqui que me mandas dar uma curva