sábado, 28 de julho de 2012

China


A China ...



...........e as Chinesices ...





Os mistérios das terras e dos povos a Oriente sempre exerceram um poderoso fascínio nos ocidentais. A partir do oitavo milénio  a.C. são conhecidos contactos comerciais entre os povos Europeus e povos do Extremo Oriente  , através da famosa Rota da Seda.

Marco Polo relata-nos em   Il Milione os seus périplos por terras orientais, cheios de aventuras  , tribulações e encanto .


A partir de 1497 com a  descoberta do Caminho Marítimo para a India por Vasco da Gama, tornou-se mais fácil a interação cultural e comercial, e  a evangelização naquela parte do mundo. A presença dos Portugueses nos mares da China foi tão marcante e benéfica, que lhes foi ofertada a ilha de Macau.


A China era naquela altura governada por sucessivas dinastias de Imperadores  proclamados filhos do céu e reconhecidos como divinos dirigentes máximos do mundo. O último imperador chinês foi Pu Yi, o 12ª da Dinastia Qing, forçado a abdicar quando da Revolução Xinhai, a Primeira Revolução Chinesa de 1911.


Sob um regime de expressão popular de esquerda  e isolada do resto do mundo a partir de 1966 quando Mao Tsé-Tung liderou a Grande Revolução Cultural Proletária, a China viveu fechada dentro de si própria durante décadas, até despertar lentamente  para a abertura a uma economia de mercado.

 
Sendo considerada A economia emergente mais poderosa do 
         mundo,

parte das contrapartidas do intercâmbio económico são a atribuição de alvarás a  restaurantes e pequenas lojas de emigrantes Chineses, onde se podem encontrar quase toda a espécie de produtos a preços altamente competitivos.É certo que se a relação preço qualidade é excelente, a última deixa muito a desejar, mas é uma óptima alternativa para consumistas de parcos recursos.


Há tudo no Chinês, e há Chinês em quase tudo. Quando ligamos um interruptor que acende uma qualquer lâmpada em qualquer ponto do país, estamos a contribuir para a riqueza da China. A influência chinesa há muito que ultrapassou a lojinha dos preços baixos, ou o restaurante dos crepes e das das hóstias de camarão, encontrando-se agora patente em quase todos os ramos da actividade  nacional.


Descoberto o caminho aéreo para a Europa, é vê-los entrar e estabelecerem-se… é raro  vê-los sair. Vieram para ficar e quem sabe conquistar o Oeste, um grão de arroz de cada vez.


大哥你!


2 comentários:

  1. Eu adoro as pérolas que encontro no chinês e que de resto vou partilhando convosco!
    Não consigo é deixar de ter a sensação, de cada vez que compro alguma coisa no chinês, que estou a deixar dinheiro que vai contribuir para financiar o horror que continuam a fazer no Tibete...
    Ps- tambémaqui tens uma perolazinha...

    ResponderEliminar
  2. :D ... Fiz este texto também a pensar em algumas das tuas pérolas, mas principalmente porque a Pérola Menor começou a tirar a carta de condução, que agora já não se diz " na Farinha Amparo"... A Escola de Condução São Lázaro, famosa de muitos anos, pratica preços imbatíveis (350,00€ c/ tudo incluído, licenças, etc.)... e PASMAI!!! é dos chineses !!!!- Péraí que vou ali ao Chinês tirar a carta e já venho... :D :D :D

    ResponderEliminar

É aqui que me mandas dar uma curva