domingo, 3 de junho de 2012

Reencarnação












Quem somos ? 
De onde viemos ? 
Para onde vamos ?



Sou uma pessoa de espírito aberto ; um dos meus motos é que o saber não ocupa lugar, por isso saber de tudo, mesmo que seja um poucochinho diminuto é óptimo. Tenho as minhas crenças e superstições muito próprias e não acredito, por exemplo na reencarnação. Penso que a alma é o elo entre o Espírito e a Matéria, e que, quando partimos desta vida, o corpo volta a ser pó, e a alma só Deus sabe.
Mas, e se ?? ... se realmente a alma vagueia pelo éter em forma de energia e reencarna, o que terei andado a fazer durante todos estes milhares de anos , antes de reencarnar na pessoa que hoje sou  ? É uma questão pertinente , não é ? Pode até explicar muitos dos atributos da minha complexa personalidade !! Senão, vejamos alguns exemplos:


- Fui seguramente um Elefante : consigo lembrar-me como se fosse hoje de quando tinha 2 ou 3 anos, da casa da minha avó, da luz e dos cheiro, do seu carinho, e do amor incondicional que sempre me devotou. Lembro-me do meu avô, que tão cedo nos deixou, a preparar o farnel para me levar á praia, das infindáveis sessões fotográficas onde eu ficava registada invariavelmente de costas...
 Consigo lembrar-me com toda a clareza da Quinta dos meus tios em Nandufe.O rio, a balsa, os aviários de criação de galinhas, a recolha dos ovos,o cheiro a flores e a sabão no tanque imenso das lavagens ... e obrigarem-me a comer sopa de feijão verde, coisa que me marcou até aos dias de hoje. Lembro-me de ser removida de casa quando do nascimento do meu irmão do meio, e de espernear para tentar espreitar, mas sem sucesso. Lembro-me tão bem da primeira vez que vi o novo bébé, e de achar que era muitíssimo grande e assustador... era menina dos meus 4 anos...


- Penso que também fui cão pastor. Sou dócil e meiga, mas ferro o dente se necessário; sou ciosa do que me pertence e estou constantemente em guarda. Aprecio o silêncio e a pacatez de locais recônditos, e desse percurso metafísico ficou-me a experiência e a paciência para contar carneiros, correr atrás deles e reagrupá-los para obter um rebanho funcional.


- Também devo ter pertencido a alguma raça de símios porque tenho alguma queda para a macacada : sou muito brincalhona e extrovertida.



- Fui  garantidamente um Panda. O Panda quando nasce, é minúsculo e elegante como um ratinho, e á medida que cresce, vai-se tornando numa criatura pesada de formas redondas, e o pior é que nem se incomoda. Tem dias que esta minha costela de Panda me deixa preocupada. Nas alturas em que parece fazer mais sentido rebolar do que caminhar fico deveras apreensiva, mas é sol de pouca dura... é que eu adoro cozinhar. Cozinhar para mim é um prazer, e é bastante terapêutico. O resultado da terapia é que  é quase sempre irresistível, e eis que voltamos de novo ao Panda....



Se o que nós somos hoje for o resultado de todas as experiências que vivemos até ao presente, eu, que não acredito nestas coisas, devo ter tido umas vidas em cheio !!!

12 comentários:

  1. Faltou referir o stress, a calma aparente, o overthinking sobre o que pode correr mal. não conssegui arranjar um animal para isto, mas dafo que o ser humano tambem é um animal, diria que se adequa.

    ResponderEliminar
  2. Bem pensado... esses atributos levam-me a pensar, que numa outra encarnação anterior fui selecionador Nacional de Futebol, só pode.... :-))))

    ResponderEliminar
  3. A do cão pastor, deliciou-me..., até porque a vejo quase todos os dias a fazer de pastor Alemão, reunindo o rebanho! bjs

    ResponderEliminar
  4. Eu também não sei o que pensar sobre a reencarnação ( a que eu costumo chamar reencadernação) mas parece-me que as almas devem ser dificeis de criar e ainda mais de afinar, por isso parece-me um grande desperdicio que quando o corpo morre a alma já não sirva para nada...
    Sinto-me assim inclinada a pensar que sim, que reencarnamos; em quê não sei e menos ainda em quem;
    Como tmbém eu me rejo pelo "saber não ocupa lugar" tenho lido algumas coisas e do que li das experiências de quase morte todos mencionam uma luz para onde se dirigem; sabendo que a primeira coisa que um bebé vê é o clarão ao nascer é inevitável que me ponha a pensar...
    Quanto aos animais que referiu, eu que a não conheço, vejo-a tanto como um elefante pachorrento e bondoso como na pele de um cão pastor (não sei se alemão ou não, mas sempre preocupado com o seu rebanho - sim, tenho sido uma das suas ovelhas - guiando, reunindo e ajudando sempre. Obrigada.
    PS- Rai´s parta o robot!

    ResponderEliminar
  5. Faz bem em não acreditar, a ciencia (isso, aquela do pensamento RACIONAL e talz) já desmentiu essa lorota faz tempo, só não ve quem não quer, não obstante ser bonito como expressão poética.

    ResponderEliminar
  6. porque descartar tão breve os aspectos biologicos do seu cerebro - que mais obviamente são os responsaveis pela vossa personalidade - e ser por a crer em alma, e reencarnação...?

    ResponderEliminar
  7. Se a reencarnação não existe, então como explicar o fato de uma pessoa nascer rica e outra pobre, um nascer com a mais perfeita saúde e o outro com doenças e o corpo deformado, nascer no meio de uma favela, entre bandidos, já destinado a virar bandido enquanto o outro nasce em berço de ouro, tendo a melhor educação possível?
    Leia o Livro dos Espíritos de Allan Kardec e encontrará todas as respostas a respeito da reencarnação e os designios de Deus.
    Deus é perfeito, justo e bom.
    Ele jamais criaria um espírito destinado a ter somente uma existencia e ainda por cima condenado ao mal desde o nascimento.
    Alguém aqui ao morrer, que seja com 100 anos, terá aprendido tudo o que se pode aprender nesse mundo? ou se tornado a pessoa mais pura desse mundo?
    O que não aprendemos em uma vida, aprendemos em outras, quantas forem necessárias até chegarmos a perfeição.

    ResponderEliminar
  8. E a respeito da ciência desmentir a reencarnação, a realidade é exatamente ao contrário, a cada dia que passa os cientistas surgem com fatos mais inegáveis a respeito da existencia de uma consciência anterior ao nascimento.
    Procurem no youtube, casos de reencarnação, tem vários espisódios de programas famosos de tv onde trata-se do assunto, como o caso do menino que diz ter sido um piloto na segunda guerra, dando detalhes sobre a vida de um piloto que apos pesquisas descobriu-se que esse piloto realmente existiu e todos os fatos da vida do piloto que o menino descrevia batiam com total precisão.
    A preexistência da alma é algo inegável, os que não admitem é por estarem com medo de suas crenças se desmancharem e ficarem perdidos, mas acreditem, quando aceitarem a reencarnação, verão o mundo de outra maneira e a Deus também, enxergando-O como realmente o Ser Perfeito que É e Criador de todas as Coisas.
    Se nós que somos tão imperfeitos, quando nossos filhos erram, perdoamos, aplicamos o castigo, porém buscamos reconduzi-los ao caminho do bem, apesar de ficarmos magoados, perdoamos os erros deles quantas vezes forem necessário e damos nova chance.
    Então Deus, sendo a Bondade e o Amor supremo, não daria a seus filhos, quantas chances forem necessárias de encaminharem-se para o Bem?

    ResponderEliminar
  9. e isso ai murilo falou bonito

    ResponderEliminar
  10. Do que estudei sobre o Espiritismo, com base nos estidos de Kardec...não se reencarna em animais.

    A reencarnação é vista como um despudorar do ser até atingir fromas mais elevadas.
    Tudo porque Deus nos deixou o livre arbitrio e insistemos nos erros sabendo como podemos evoluir.

    Enfim, para acreditar primeiro tem de se sentir. Algo que não se explica.
    Ou então experiencar o outro lado...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. SAbes, pérola, não sou crente na reencarnação. Penso que a energia volta a ser energia pura.

    ResponderEliminar

É aqui que me mandas dar uma curva