segunda-feira, 11 de junho de 2012

Futebol


Descrição:

O futebol, (do inglês foot=pé+ball=bola) é um desporto de equipe jogado entre duas equipas de 11 jogadores cada uma e um árbitro que se ocupa da correta aplicação das normas. É considerado o desporto mais popular do mundo, pois cerca de 270 milhões de pessoas seguem as suas várias competições. É jogado num campo retangular relvado, com uma baliza em cada lado do campo. O objetivo do jogo é deslocar uma bola através do campo com os pés, para colocá-la dentro da baliza adversária, ação que se denomina golo. A equipe que marca mais golos ao término da partida é a vencedora.



É Junho e chega o calor. É tempo de imperiais, tremoços e caracóis, e claro está do Euro 2012. Coube á Polónia e Ucrânia a organização deste campeonato europeu de futebol, onde se defrontarão em campo 16 equipas entre as quais está Portugal. É certo e sabido que a relação da maioria das mulheres com o futebol não é a melhor, talvez por isso eu não seja a pessoa mais indicada para escrever sobre o tema, mas penso que tenho uma opinião para dar, e eu não sou daquelas pessoas de deixar para amanhã o que pode dizer hoje.

O futebol é considerado o desporto rei, porque move massas e move milhões. Os seus praticantes mais importantes são universalmente conhecidos, são elevados á categoria de semideuses e cantados incansavelmente em tudo o que é meio de comunicação. São escrutinados pública e privadamente até á exaustão e são praticamente monumentos nacionais a par do Mosteiro dos Jerónimos e da Ponte de D. Luís.

O País está a viver uma época de austeridade como nunca antes sentida, em que a inflação e o desemprego são galopantes, a política está um caos, as dificuldades aumentam , o povo desespera, e a rua da amargura tornou-se o local habitual para os passeios de Domingo. Somos um País com parcos recursos naturais, e as soluções, cada vez mais drásticas, não nos oferecem qualquer nesga de luz no fim deste imenso túnel que é a depressão nacional.

É aqui que o futebol faz toda a diferença. Pode quem quiser dizer que é manobra de diversão para tapar o sol da desgraça com a peneira do patriotismo. Não me parece. No Sábado dia 9 de Junho a nossa Selecção defrontou a selecção  Alemã em Lviv, na Ucrânia. O Portugal murcho e seco do último ano floriu em verde e vermelho e ganhou novo alento. É certo que o resultado não foi o que gostaríamos, mas aqueles 90 minutos foram mágicos para cada português que vibrou com os representantes de todos nós. Aquele orgulho nacional de que se ouve falar nos livros de História explodiu em alegria e emoção. Era o País ali, e cada português levava a bola nos pés e um credo na boca.

Eu estava a trabalhar e não vi o jogo, como não vejo a maior parte dos jogos de futebol transmitidos na televisão. Não sou fã, nem adepta de nenhum clube. Sou fão do meu País e choro SEMPRE que no início toca o hino nacional. Sorrio porque muitos dos nossos ídolos maiores não sabem a letra, mas entendo as dificuldades porque muitos passaram e o pão que o diabo amassou que muitos tiveram que engolir para estar ali, naquele dia . Outros há, que para além da destreza física têm também formação académica. Já são muitas as pessoas ligadas ao futebol que têm cursos superiores, e são formados em Educação Física, em Tecnologia em Futebol, em Motricidade Humana, por exemplo, cursos estes considerados Licenciaturas e com oferta em praticamente todas as universidades portuguesas.

E eu, que sou mulher, não aprecio futebol e até vejo pouco, dou comigo a pensar que, depois de sermos vezes sem conta massacrados e considerados lixo, precisamos dos pés dos nossos rapazes para correr, fintar, chutar, marcar e nos encher de orgulho, e dou por mim a torcer e a vibrar por eles, pela selecção de todos nós “…Que há-de guiar-te à vitória! “.

4 comentários:

  1. Pois é, parece-me que tens toda a razão. Mas também me parece que andam por aí muitos arautos da moralidade, com a mania que agora são patriotas e que não fazem a mínima ideia do que estão a dizer. Esquecem-se que a esmagadora maioria dos jogadores não viveram boas vidas e que, agora, têm a triplicar aquilo que, provavelmente, a maioria de nós teve na nossa infância, normal e simples.
    Essas pessoas, depois de criticarem e de dizerem baboseiras, acabam por ver os jogos e esquecer a vida triste e sem sal que por vezes levam. Mas, mesmo assim, há muito pior. Há quem se incomode mais com o dinheiro dos jogadores de futebol (ganho por eles, com algum mérito) e com as posses dos mesmos, do que com todo o dinheiro que é roubado a quem trabalha diariamente e arduamente neste cantinho à beira-mar plantado.
    Quem não gosta de futebol, tem sempre a opção de não ver, de mudar de canal, de escolher outra coisa, mas quem não gosta dos nossos dirigentes governamentais e da maneira como nos roubam diariamente não tem remédio.
    Deixem os homens jogar, porque é isso que eles fazem... e vê-los faz bem, quanto mais não seja ao pensamento, porque enquanto eles jogam, sempre descarregamos as nossas angústias nas suas pernas, sempre temos a quem insultar, sempre nos podemos distrair daquilo que é pior.
    As pessoas esquecem-se que ser patriota é lutar pelo seu país, defender a sua pátria, honra e exigir respeito pela sua nacionalidade, seja lá de que maneira for. Não é, de forma nenhuma, criticar e refilar, sempre de barriga cheia, com o seu bom ordenadinho no bolso. É engraçado ver que quem critica os outros, normalmente faz ainda menos.
    Acho que as crianças de hoje vão deixar de querer ser futebolistas quando crescerem... vão querer ser políticos! Aí nada se faz, nem física, nem intelectualmente, nem esforço de espécie nenhuma. Mas ganha-se muito dinheiro só para dizer parvoíces.
    Também escrevi qualquer coisa sobre isto no FB... não sei se já leste.
    Ah, by the way, os jogos de futebol têm 90 minutos :)

    ResponderEliminar
  2. Eheheh... é o mal de ver sempre só metade ( e tu sabes que é verdade...). Já emendei. Obrigada pela opinião.

    ResponderEliminar
  3. Brutal...nunca pensei que se falasse tanto de futebol neste blog. o mundo eatá a ficar um lugar diferente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E por mais estranho que pareça, as pessoas também....

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva