sábado, 30 de junho de 2012

Na Cozinha, com a D !!!!!


"Não existe amor mais sincero do que aquele

 pela comida." - George Bernard Shaw





Como diz o poeta, mudam-se os tempos, mudam-se  as vontades. Começamos por brincar com bonecas e ursinhos de peluche, brincamos, às casinhas e aos chazinhos, brincamos às escolas,… jogamos um sem número de jogos divertidos, à apanhada, o rei manda, à macaca, ao mata… 
...quase sem nos apercebermos  já estamos brincar aos médicos e às enfermeiras, donde  evoluímos rapidamente para outro tipo de brincadeiras,  e num ápice estamos de novo a brincar às casinhas, mas desta vez, com um pimpolho a tiracolo e é para valer.

Acabaram-se os os viveres de estudante , e como mulheres e mães passamos a encarar a vida sob um prisma completamente diferente, focando os nossos principais objectivos  durante anos naqueles que  directamente de nós dependem, por vezes com tanta intensidade que nos esquecemos  de nós próprias.

O tempo, aquele vetusto  amigo que envelhece connosco e nos prega partidas, daquelas que abalam as nossas melhor estruturadas convicções, chegada à altura das migrações, abre a gaiola e a passarada voa toda , céu afora, deixando para trás o ninho e o conforto que levámos toda uma vida a construir.

É então que o espelho da solidão só nos reflecte a nós, e não gostamos do que vemos. Eu particularmente, e talvez porque esteja diariamente rodeada de gente, prezo muito o retiro e o silêncio, mas tenho um enorme vazio que preciso preencher.

E é aqui que entra a culinária. Ajuda a preencher aquele "je ne sais quoi" que nos falta e aquele "je sais quoi" que não me faz falta nenhuma, mas opera maravilhas no meu ser. O Food Chanel foi uma dádiva. Aprendi truques e dicas fabulásticos que não hesitei em passar à prática.  Se são 5 minutos de prazer na boca e uma vida inteira nas ancas, so be it. De entradas, a pratos de apresentação aprimorada, cremes aveludados, saladas fantásticas, sobremesas extasiantes, tenho mil e uma receitas de truz, das quais afirmo que sem  qualquer sombra de dúvida, o meu trifle de morangos é a melhor sobremesa do mundo, da europa, talvez de Portugal e até quiçá de Lisboa , já para não mencionar arredores, por uma questão de modéstia.


Diz o velho ditado que devemos prender os nossos homens pelo estômago : eu prendi a família toda e instituí a 4.ª feira como o dia da reunião de tertúlia e repasto, em que quais bacantes desgovernadas  falamos, comemos, rimos e até  bebemos , como se não houvesse amanhã. No fim ficamos dois velhotes, dois gatos e uma cozinha de fugir, mas vale sempre a pena. 
 
Mal posso esperar para experimentar uma nova mistura de ervas, uma inovadora receita vegetal, testar com êxito pesto com pistacchios, e por mais estranho e surreal que possa parecer, ir de propósito ao El Corte Inglés só para descer à cave… J



Até ao próximo prato !!!

6 comentários:

  1. Pelo aspecto fantástico e delicioso que têm estas fotos parece-me que preenches muito bem o teu tempo.

    ResponderEliminar
  2. O tempo, a cintura e as ancas :D:D:D

    ResponderEliminar
  3. mas que beleza de fotos... diabos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E falta o piru - sim que o animal tem tradição de qualidade Chez Moi - os Red Vevets , os cupcakes, as mousses, tudo coisa leve que traz o meu colesterol controladinho... :)/):):)::)

      Eliminar
  4. Sou cozinheiro de mão mais ou menos cheia. Adoro comer. Beijinhos, M D Roque :-)

    R.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comer é a quintessência da existência e cozinhar é catártico ... Juntar o útil ao agradável com uma pitada de canela.... Maravilha ! Beijinho R.

      Eliminar

É aqui que me mandas dar uma curva