sábado, 9 de junho de 2012

Comemorações

Citando a Wikiédia:
"O Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, celebrado a 10 de Junho, é o dia em que se assinala a morte de Luís Vaz de Camões em 1580, e também um feriado nacional de Portugal.

Durante o regime ditatorial do Estado Novo de 1933 até à Revolução dos Cravos de 25 de Abril de 1974, era celebrado como o Dia da Raça: a raça portuguesa ou os portugueses."

Sempre me perguntei porque é que o 10 de Junho celebrava a raça portuguesa, que tão bem Camões enalteceu na sua epopeia maior, se se comemora o pressuposto dia em que o poeta morreu, não os seus feitos amorosos ou de glorioso combatente e fervoroso português, que inspiraram todas as suas obras. Só exemplifica que, aquela máxima que diz que um artista vale mais morto do que vivo, faz, afinal, todo o sentido, porque com é do conhecimento público, Camões morreu na miséria.
Para além disso, foi em 1580 que Portugal perdeu a independência para os Espanhóis, que á semelhança dos últimos governos eleitos no nosso país, deram cabo de tudo durante 60 anos. Desbarataram toda a riqueza para suportar a guerra dos 80 anos (quem nunca ouviu falar da Invencível Armada??), e o Império Português, que custou aos povos muito sangue suor e lágrimas, foi completamente deixado ao abandono , com inúmeros domínios usurpados, sob o domínio dos Filipes.
Então porque é que continuamos a comemorar o 10 de Junho ? Que o Estado Novo se tenha apropriado dos feitos dos Heróis Nacionais para efeitos propagandistas, até se compreende, para quem tem possessões ultramarinas e deseja enaltecer o poder colonial e a guerra como meio de assegurar a paz .
Se é certo que a filosofia do 10 de Junho é a de homenagear as Forças Armadas, penso que depois de 1974, deixou de fazer sentido. Não é o 25 de Abril o dia em que se comemora a liberdade conseguida pelo Movimento das Forças Armadas?
Quem passou ontem, 6ª Feira 8 de Junho por Belém, grande fonte de rendimento turístico para o país,  constatou que, para além da zona dos palanques montados para as comemorações de Domingo, já se encontravam várias outras áreas e pontos de estacionamento interditos ao público.
Numa época em que a palavra austeridade é ensinada às crianças no berço, não será megalómano demais da parte dos nossos dirigentes, bloquear a receita do turismo em Belém  por praticamente 3 dias, e gastar milhões numa festa comemorativa duma efeméride que já não faz sentido?
Se alguém me conseguir explicar com calma e lógica, como se eu tivesse 6 anos, ficaria imensamente grata.

3 comentários:

  1. ora já somos duas a pedir explicações... Eu ainda tenho outra dúvida... Como é possível que estando o país na miséria, em recessão a selecção e o futebol estejam a gastar e a gastar e a gastar?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...ainda se pelo menos a Selecção apresentasse resultados...
      O Ex-primeiro era um relapso mentiroso, o actual é contumaz e deslumbrado, com as prioridades completamente desordenadas... O pior, é assumir que fomos nós quem contribuiu para, parafraseando o saudoso Salgueiro Maia " o estado a que chegámos"...Tristeza...

      Eliminar
  2. E há 3 a pedir explicações!
    Se te explicarem a ti, por favor, reencaminha para mim, sim?
    É que eu gostava de perceber!

    ResponderEliminar

É aqui que me mandas dar uma curva