quinta-feira, 14 de junho de 2012

É só Filmes !!!!!!


Descrição:

Cinema (do grego: κίνημα - kinema "movimento") significa a técnica e a arte de fixar e de reproduzir imagens que suscitam impressão de movimento, tal como significa a indústria que produz estas imagens. As obras cinematográficas (mais conhecidas como filmes) são produzidas através da gravação de imagens do mundo com câmaras adequadas, ou pela sua criação utilizando técnicas de animação ou efeitos visuais específicos. É considerado a 7ª Arte.



Tinha eu talvez 6 anos de idade, quando o meu avô Américo chegou uma tarde a casa com uma caixinha escura com um arame rertorcido por cima a que chamavam antena. E á caixa escura, chamavam televisão. Não era novidade para mim ver figuras a preto e branco movimentarem-se a pé, a cavalo , de carroça, de bicicleta,  de carro ou até de avião dentro duma janela minúscula, pois acompanhara bastas vezes a minha madrinha a lanches á Provinciana, pequena pastelaria que para além das torradinhas tinha uma daquelas caixinhas na parede, para onde a minha madrinha olhava embevecida, seguindo avidamente as aventuras do Mascarilha, o Lone Ranger e seu fiel amigo Tonto, faladas numa linguagem compreensível mas estranha, que era o Português do Brasil.Eu aguardava que,  a todo o momento,  uma pequena porta se abrisse, e as pequenas figuras saíssem após acabar o episisódio, mas para grande desapontamemto o meu, as longas esperas foram  sempre em vão.

Aquela caixinha escura  abriu-me a grande porta do mundo mágico e hilariante que continha as tropelias do Charlot, as burrices do Bucha e Estica, os desenhos animados do irreverente manda Chuva, as ursadas do Zé Colmeia e Catatau, os calhaus dos Flintstones… dezenas, centenas de hora de riso e diversão.

Foi pela mão do meu pai que aos 9 anos de idade vi o meu primeiro filme : a Música no Coração. Não era dobrado, precisei que o pai fosse explicando, mas penso que percebi bem, pois fartei-me de chorar no fim. Mas foi um choro feliz, aliviado, de completa realização. Ainda agora, e seguindo os velhos hábitos do pai, que era um sentimentalão, quando preciso descarregar, vou ver a Música no Coração, a Fuga para a Vitória, O ET ou o Campo de Sonhos; acabo lavada em lágrimas, mas com o espírito muito mais leve.

Adoro ver fitas ! Há filmes intemporais ! Adoro bons argumentos, bons personagens , bons actores e sobretudo bons realizadores.

Adoro Hitchcock : Vertigo, O Homem que Sabia Demais, a Janela Indiscreta, os Pássaros. De John Houston, o Falcão de Malta; Casablanca de Michael Curtiz; Até á eternidade de Fred Zinnemann; Ben-Hur  de William Wyler; E tudo o Vento Levou, de Victor Fleming... Muitos, dezenas, centenas, da chamada era de Ouro de Hollywood, e alguns carismáticos,  mais recentes ,como por exemplo o Milos Forman, que tornaram imortais personagens como R.P. McMurphy, em Voando Sobre um Ninho de Cucos

Qualquer Spielbergada é excitante. Os melhores, são sempre os menos divulgados como o Amistad , a Côr Purpura ou os Encontros Imediatos de 3º Grau. A geração mais nova só conhece o Tubarão, o E.T., os Idiana Jones, os Parque Jurássico... muito bem feitos, muito divertidos, muito comerciais, mas a Lista de Schindler, o Resgate do Soldado Ryan ou o recente War Horse, são espectaculares e precisos, bons filmes de época, e que sendo também Blockbusters, juntaram o útil ao muito agradável.
Depois, vêm todos os filmes  de ficção científica, alguns dos quais considero filmes de culto : Star Trek, Star Wars, LOTR, X-Men & Cia da Marvel e DC Comics ( Os meus favoritos foram os Hell Boy, vá lá saber-se porquê...),  e mais recentemente o Avatar, do Mr. Titanic,  que não apresentando nenhum argumento sui-generis, foi muito bem conseguido.

Há tantos e tão bons, que podia passar dias inteiros a falar sobre eles. Por isso vou rematar com chave de ouro: Adoro Tim Burton. Todos os filmes do Tim Burton são fantásticos e têm a capacidade de serem sempre inovadores e de me surpreenderem. Tem uma maneira estranha e sombria de retratar o seu imaginário, o que o torna sonhador, irreal e tétrico  em toda a sua grandiosidade. O universo de Tim Burton é povoado de magia criada a partir da matéria de que são feitos os sonhos e os pesadelos,e que estranhamente nos catapulta para a bizarra realidade :

“Boys and girls of every age
Wouldn't you like to see something strange?

Come with us and you will see

This, our town of Halloween”…

Esta pode não ser Halloweentown, mas é sem dúvida Holloweenland, e o pior é que o Pesadelo, não é só de Antes do Natal, parece que veio para ficar e lamentvelmente por muito tempo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

É aqui que me mandas dar uma curva