quarta-feira, 30 de maio de 2012

O Menino

É um dito antigo que "Parir é dor, criar é amor". É uma daquela joias da sabedoria popular que explicam que o instinto maternal ou paternal não está directamente ligado á biologia de cada um.  E sendo nada mais do que a pura verdade, quero falar do meu menino. O meu menino já é entradote; não lhe vou contar a idade, mas posso referir que, com um bocadinho de ajuda, ele saberá dizer onde estava no 25 de Abril de 1974.
Sempre foi "O Menino", e foi mimado ( e ainda é) até à exaustão. Pela parte que me toca, bato no peito três vezes, e reconheço a culpa. Mas se era lindo ! Fui a primeira pessoa a segurá-lo no colo. No século passado, não era costume as senhoras de bem terem os filhos nos hospitais. Contratava-se uma parteira diplomada, que montava  parafrenália digna dum filme de terror, e aguardava-se pelo evento, tudo em silêncio e envolto no maior secretismo, porque para os outros filhos era assunto tabu. Chegada a hora, o pequeno nado abria os pulmões às cordas vocais e aí começava o rebuliço. Eu, como mais velha alguns pares de anos, fui autorizada pela 1ª vez a entrar no palco de todas as emoções. Foi amor à primeira vista. Nunca tinha visto nada tão lindo na minha vida , e de todos os nascimentos, de todas as crianças, de todas as fotos, é aquela a imagem que tenho do bébé mais lindo, da pele mais cor de rosa, dos olhos mais azuis do que o céu de verão mais azul; é A imagem, a que que sempre perdurará.
Esteve sempre comigo, nos sonos, nos passeios, nos primeiros passos, nas primeiras letras, no bulício da infância , na adolescência, nos bons momentos, nos maus momentos, nas alegrias e tristezas da vida.
Cortou o cordão com tesoura romba, de modo que ficou sempre um nadinha preso a nós.
As voltas da vida levaram-no para outro lado do mundo, onde o horizonte se perde na imensidão dourada das planícies. Vai descobrir sózinho que é forte e capaz, e que nós, de longe, estaremos cá sempre para ele, enquanto nos for permitido respirar.
As saudades vão doer, mas é uma dor agridoce.Ele vai ficar bem, e vai ser feliz.
 Tenho muito orgulho no meu menino.

2 comentários:

  1. Lindo 'post', linda homenagem ao seu rebento. Parabéns e muitas felicidades para ele!

    ResponderEliminar
  2. O meu Menino, é o meu irmão mais novo. Tem 42 anos, mas vai ser sempre o meu Menino. :):):)

    ResponderEliminar

É aqui que me mandas dar uma curva